Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

O relato de um deportado: ‘Brasileiro não tem vez nos EUA’

Pintor barrado ao tentar entrar no país ilegalmente conta como foi o período detido: 'A humilhação era grande demais. Não tinha necessidade daquilo'

Por Da Redação Atualizado em 9 mar 2020, 10h13 - Publicado em 9 mar 2020, 10h10

Reportagem de VEJA desta semana mostra o drama dos brasileiros deportados ao tentar entrar ilegalmente nos Estados Unidos. Um dos afetados pela política mais dura imposta pelo presidente americano Donald Trump é o pintor Danilo Dias Lima de Souza.

Despachado de volta em um dos voos fretados autorizados pelo presidente Jair Bolsonaro, ele relatou a VEJA o seu pesadelo americano logo após desembarcar em Minas Gerais na sexta-feira 6. “Brasileiro não tem vez nos EUA. Sem chance”, afirmou Danilo, que chegou a ficar um período detido antes da deportação. “Fiança lá é para mexicano e cubano. Brasileiro, quando ganha fiança – a coisa mais rara do mundo –, é de 60 mil dólares, 25 mil dólares… É pra não entrar mesmo.”

O pintor contou também que ficou em uma cela apertada e chegou a passar frio. Em alguns dias, ele só conseguia chorar. “Chorava porque a humilhação era grande demais. Não tinha necessidade daquilo. O errado que fizemos foi invadir o país, mas ninguém ali era bandido. Nós estávamos indo atrás de um serviço, de uma vida melhor.”

Publicidade