Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

A Guerra Cultural no Youtube

De um lado, nomes como Felipe Neto, Kéfera e PC Siqueira. Do outro, apoiadores de Bolsonaro, como Nando Moura e Olavo de Carvalho. Quem está ganhando?

Por Filipe Vilicic, Da Redação - Atualizado em 23 jan 2019, 17h56 - Publicado em 23 jan 2019, 10h00

No programa em vídeo ‘A Origem dos Bytes’, o editor Filipe Vilicic, titular de blog homônimo, debate como o Youtube virou palco da guerra cultural mais intensa e interessante do momento brasileiro. A divisão se dá entre youtubers progressistas, usualmente críticos da gestão Bolsonaro (e, antes disso, também contrários aos governos do PT), e os conservadores, costumeiramente alinhados com o novo governo.

O cabo de guerra tem, numa ponta, nomes como Felipe Neto (29 milhões de seguidores no canal do YouTube), Kéfera Buchmann (11 milhões) e PC Siqueira (2 milhões). Na outra extremidade, representantes como Nando Moura (3 milhões), Bernardo Kuster (587 mil) e Olavo de Carvalho (607 mil). Em jogo, as opiniões dos jovens de hoje – talvez, seus filhos. Quem está levando a melhor nessa peleja?

Acompanhe o vlog no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Publicidade