Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Buscapé agora permite compra direta a partir do site

Companhia apresenta ainda sistema que calcula frete para entregas

Por James Della Valle 24 jan 2013, 13h09

O site de comparação de presços Buscapé anunciou nesta quinta-feira o lançamento de um recurso que permite a compra de produtos a partir da página do serviço. De acordo com Romero Rodrigues, CEO da Buscapé Company, o botão “Comprar agora” permite ao usuário realizar transações de uma forma mais rápida, sem a necessidade de passar pelo carrinho de compras (pagamento virtual) de fornecedores como Walmart, Fnac e Americanas.

Leia também

Urbanizo, do Buscapé, revela bairros mais caros do país

Buscapé aquece briga no mercado de pagamento on-line

Rodrigues comentou ainda a similaridade entre o recurso “Comprar agora” e o botão “Compre agora com 1-Clique” da gigante americana do varejo eletrônico Amazon. Ele afirmou que existem diferenças pontuais entre os planos de negócios das companhias. “A Amazon bloqueia o contato direto do consumidor com a loja. Ao término da transação, ele acaba nem percebendo qual é a origem do produto”, disse. “Mesmo com essa nova ferramenta, nós continuamos a incentivar o diálogo entre nossos usuários e os estabelecimentos virtuais.”

Além de permitir as compras através do site, o Buscapé também anunciou o lançamento de mais um recurso que inclui o valor do frete na comparação de preços do site. “Estamos trabalhando desde 2011 para aperfeiçoar o serviço que ajuda o consumidor a ver qual é o valor final do produto desejado”, afirmou o CEO da empresa. Nesse caso, a comparação acontece em tempo real e depende de dois fatores: o endereço do consumidor e o endereço do lojista. Rodrigues aponta que, dependendo do estado de residência do comprador, o valor do frete pode chegar a 100% do preço do produto em questão.

Os dois recursos estarão disponíveis a partir desta quinta-feira, mas, de acordo com a companhia, nem todas as lojas que oferecem produtos no site estão integradas ao serviço. “Pretendemos finalizar esse processo de integração em até 60 dias”, concluiu Romero.

Continua após a publicidade
Publicidade