Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Veganos vivem mais que carnívoros

Estudo mostrou que carnívoros e vegetarianos correm risco de vida maior em relação aos que seguem uma dieta que exclui todo produto de origem animal

Carnívoros e até mesmo vegetarianos correm risco de vida maior em relação aos que seguem uma dieta vegana – a qual exclui todo produto de origem animal. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico JAMA Internal Medicine, o aumento de 3% no consumo de calorias de proteínas de origem vegetal reduz em 10% o risco de vida. Por outro lado, acrescentar em 10% a ingestão de calorias provenientes de proteínas de origem animal aumenta em 2% o risco de vida em geral e em 8% a probabilidade de morte por doenças cardiovasculares. 

“No geral, nossos resultados sustentam a importância das fontes de proteína na dieta para resultados de saúde em longo prazo. Nossas descobertas sugerem que as pessoas deveriam consumir mais proteínas vegetais do que animais e quando elas forem escolher entre fontes de proteína animal, peixe e frango são provavelmente as melhores escolhas”, disse Mingyang Song, principal autor do estudo.

Após monitorar os registros de saúde e a dieta de mais 130.000 pessoas, ao longo de 30 anos, os pesquisadores do Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, concluíram também que substituir a ingestão de ovos por proteínas de origem vegetal reduziu em 19% o risco de vida. Já a eliminação da carne vermelha da dieta diminuiu esse risco em 12%.

Leia também:
Vegetarianismo melhora qualidade de vida, indica estudo
Dieta vegana pode trazer riscos à saúde

De acordo com os autores, essa associação entre a ingestão de proteínas de origem animal – como carne, frango, peixe, ovos e laticínios – e o aumento do risco de morte foi observado em pessoas com pelo menos um fator de risco, como tabagismo, alcoolismo e obesidade. Entre aquelas que tinham hábitos de vida mais saudáveis, essa relação desapareceu. 

Possível explicação

Uma possível explicação para isso, segundo os autores, é que as proteínas de origem vegetal – geralmente ricas em gordura insaturada (que não prejudicam a saúde vascular) compensam os efeitos adversos desses fatores de risco. Outra hipótese é que pessoas mais preocupadas com a saúde já têm o hábito de comer mais peixe e frango (as proteínas de origem animal mais saudáveis).

As proteínas de origem animal estão relacionadas a um aumento da probabilidade de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e outros problemas de saúde. Por outro lado, as proteínas vegetais conseguem reduzir a pressão sanguínea e o colesterol e aumentar a sensibilidade à insulina.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Paulo Bandarra

    Na verdade o título é uma mentira: “Entre aquelas que tinham hábitos de vida mais saudáveis, essa relação desapareceu.” Ou seja, apenas “pessoas com pelo menos um fator de risco, como tabagismo, alcoolismo e obesidade.” Ora, isto já se sabia e não tem nada a ver com a dieta.

    Curtir

  2. Sou vegana há muitos anos (e vegetariana há mais de 38 anos), não tenho dúvidas de que a alimentação vegana é muito mais saudável. Meu filho é vegano desde a gestação e graças a Deus é super saudável. Porém, veganismo não é uma dieta e sim uma filosofia de vida. Além de não comermos produtos de origem animal, não usamos couro, peles, seda, etc e somos contra testes em animais e contra qualquer “entretenimento” que utilize animais, como zoos, aquários, rodeios, circos, etc. O veganismo celebra a Vida em todas as suas formas, o respeito por todas as criaturas…estamos longe de ser perfeitos mas tentamos causar o mínimo mal possível a qualquer criatura e ao planeta. Como consequência, a saúde agradece e muito! Ah, e não comemos só alface, viu? Entrem no grupo Ogros Veganos no Facebook e apreciem a quantidade e variedade de delícias livres de crueldade! Abraços!

    Curtir