Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Polipílula’ reduz risco de doenças cardíacas em maiores de 50 anos

Comprimido, que reúne quatro medicamentos para tratar problemas cardiovasculares, se mostrou eficaz em testes clínicos

Um comprimido que concentra quatro medicamentos diferentes – um para colesterol, dois para hipertensão e uma aspirina, que previne o entupimento dos vasos sanguíneos – se mostrou eficaz para proteger pessoas com mais de 50 anos contra ataques cardíacos e acidente vascular cerebral (AVC), as principais causas de morte no mundo. Segundo pesquisadores da Universidade Queen Mary de Londres, na Grã-Bretanha, a polipílula, como é chamada, é capaz de reduzir a pressão sanguínea em 12% e o colesterol ‘ruim’ (LDL) em 39%, fazendo com que esses níveis atinjam os normalmente apresentados por um jovem de 20 anos de idade.

Saiba mais:

COLESTEROL

O colesterol é importante para o organismo para sintetizar vitaminas e hormônios, mas eles não circulam livremente pelo sangue. Para fazer isso, é preciso que se juntem às lipoproteínas, como a HDL (sigla para high density lipoproteins, ou lipoproteínas de alta densidade) e a LDL (low density lipoprotein, lipoproteínas de baixa densidade). O LDL, em altas quantidades, está relacionado com algumas condições médicas, como infarto, derrame a aterosclerose (entupimento arterial).

Para avaliar a eficácia do comprimido, os autores do estudo selecionaram 85 pacientes maiores de 50 anos que não tinham histórico de doença cardiovascular. Durante três meses, parte deles recebeu doses de placebo e o restante a polipílula. Os resultados da pesquisa foram publicados nesta semana no periódico PLoS One. De acordo com o artigo, a pílula evitou ou retardou em até onze anos os eventos cardiovasculares em 28% dos participantes.

“Agora, precisamos do apoio público para tornar a polipílula disponível sem demora. Os benefícios apresentados nos testes pelo medicamento são grandes demais para serem ignorados. Estimamos que, se apenas 50% das pessoas com 50 anos ou mais tomarem a pílula no Reino Unido, cerca de 94.000 ataques cardíacos e AVCs poderiam ser evitados a cada ano”, diz o especialista que desenvolveu o comrpimido, Nicholas Wald.

Brasil – Uma outra formulação da polipílula está sendo testada no Brasil por pesquisadores do Hospital do Coração, em São Paulo. De acordo com Otávio Berwanger, diretor do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital do Coração e coordenador da pesquisa, a droga vem apresentado resultados promissores. “Acredito que dentro de dois anos os testes já tenham sido finalizados”, diz.

A polipílula que vem sendo testada no Brasil, concomitantemente com Inglaterra, Holanda, Índia e Austrália, combina em um único comprimido os compostos da aspirina (que previne entupimento dos vasos sanguíneos do coração) em baixa dosagem, a sinvastatina (controlador de colesterol) e de dois medicamentos para controle da pressão arterial, o lisinopril e hidroclotiazida (ou beta-bloqueador).

Clique nas perguntas abaixo para saber mais sobre doenças cardíacas:

  • Causas e sintomas
  • Prevenção e tratamento

Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

Quais são os principais problemas cardíacos?

Como se caracterizam os principais problemas cardíacos?

O que é mal súbito?

(Fabiano – Colombo/Paraná)

Quais são as principais causas dos problemas cardíacos?

Quais problemas cardíacos são congênitos?

Quais são os problemas congênitos mais comuns?

O sal ajuda a controlar a pressão arterial?

Por que hoje os problemas no coração são a causa número 1 de mortes?

Quem tem colesterol alto tem mais chances de sofrer problemas cardíacos?

(Paula Estevam – São Paulo – SP)

Quais sinais podem indicar problemas no coração?

  • Quais são os principais problemas cardíacos?
  • Como se caracterizam os principais problemas cardíacos?
  • O que é mal súbito?

    (Fabiano – Colombo/Paraná)

  • Quais são as principais causas dos problemas cardíacos?
  • Quais problemas cardíacos são congênitos?
  • Quais são os problemas congênitos mais comuns?
  • O sal ajuda a controlar a pressão arterial?
  • Por que hoje os problemas no coração são a causa número 1 de mortes?
  • Quem tem colesterol alto tem mais chances de sofrer problemas cardíacos?

    (Paula Estevam – São Paulo – SP)

  • Quais sinais podem indicar problemas no coração?

Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

A partir de que idade é preciso fazer exames e quais devem ser feitos?

(André Luis Silva, Caldas Novas – GO)

Quem é obeso deve procurar um cardiologista?

Que tipo de alimentação pode diminuir as chances de problemas cardíacos?

Quais os alimentos mais prejudiciais ao coração?

Como calcular corretamente a frequência cardíaca para a prática de exercícios físicos?

(Mel Falcão – Feira de Santana – BA)

Que tipo de cuidados as pessoas que já têm problemas cardíacos precisam ter?

Quem tem problemas cardíacos pode praticar esportes?

O que fazer para baixar ou aumentar a pressão arterial em situações de emergência?

Como ajudar uma pessoa que está sofrendo um ataque cardíaco?

  • A partir de que idade é preciso fazer exames e quais devem ser feitos?

    (André Luis Silva, Caldas Novas – GO)

  • Quem é obeso deve procurar um cardiologista?
  • Que tipo de alimentação pode diminuir as chances de problemas cardíacos?
  • Quais os alimentos mais prejudiciais ao coração?
  • Como calcular corretamente a frequência cardíaca para a prática de exercícios físicos?

    (Mel Falcão – Feira de Santana – BA)

  • Que tipo de cuidados as pessoas que já têm problemas cardíacos precisam ter?
  • Quem tem problemas cardíacos pode praticar esportes?
  • O que fazer para baixar ou aumentar a pressão arterial em situações de emergência?
  • Como ajudar uma pessoa que está sofrendo um ataque cardíaco?

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.