Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

OMS espera o surgimento de mais casos da varíola dos macacos

Especialistas acreditam que a doença está se espalhando como uma infecção sexualmente transmissível e vai afetar países onde não é considerada endêmica

Por André Sollitto Atualizado em 22 Maio 2022, 12h57 - Publicado em 22 Maio 2022, 12h22

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que novos casos da varíola dos macacos devem ser identificados à medida que expande sua vigilância sobre países em que a doença não é considerada endêmica.

Até o final do sábado 21, a organização já havia confirmado 92 casos e outros 28 são considerados suspeitos em doze países da União Europeia que não são considerados endêmicos para a doença. Por causa do aumento de casos, o Grupo Consultivo Técnico e Estratégico sobre Riscos Infecciosos com Potencial Pandêmico e Endêmico (STAG-IH), da OMS, vai se reunir para conversar sobre o tema. Novas diretrizes devem ser divulgadas nos próximos dias.

“O que parece estar acontecendo agora é a varíola dos macacos entrou na população como uma forma sexual, e está se espalhando assim como as infecções sexualmente transmissíveis, o que amplificou sua transmissão em todo o mundo”, afirmou David Heymann, especialista em doenças infecciosas da OMS, à agência Reuters.

A varíola dos macacos é uma zoonose viral que pode infectar seres humanos. Entre os sintomas estão: febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfonodos inchados, calafrios e exaustão. A erupção cutânea começa geralmente no rosto e, depois, se espalha para outras partes do corpo, principalmente mãos e pés. É endêmica em partes da África ocidental e central.

O primeiro caso na Alemanha foi detectado em um brasileiro de 26 anos que vive em Munique, capital da Baviera. Ele está isolado na Clínica Schwabing e apresenta sintomas leves. Ele passou por Espanha e Portugal antes de chegar à Alemanha. Lá, visitou Düsseldorf e Frankfurt. Autoridades vão rastrear seus passos para saber quem pode ter tido contato com o brasileiro.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)