Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

FDA tem plano para estabelecer nível máximo de nicotina em cigarros

Medida tem como objetivo diminuir índices de dependência e mortes entre jovens

Por Paula Felix 22 jun 2022, 17h23

Estabelecer um nível máximo de nicotina nos cigarros e demais produtos de tabaco queimado está nos planos da Food and Drug Administration (FDA) para reduzir a dependência e morte, principalmente de jovens. A agência reguladora norte-americana fez o anúncio nesta terça-feira, 21, mas ainda não divulgou o índice adequado para tornar o produto menos viciante.

Segundo a FDA, dentre as mais de 7 mil substâncias presentes no cigarro, a nicotina não é a mais tóxica, mas é a que torna o fumante dependente. “A nicotina é poderosamente viciante”, informou, em comunicado, o comissário da agência Robert Califf. “Reduzir os níveis de nicotina para níveis minimamente viciantes ou não viciantes diminuiria a probabilidade de futuras gerações de jovens se tornarem viciados em cigarros e ajudaria mais fumantes viciados a parar de fumar”, completou.

Nos Estados Unidos, 480 mil pessoas morrem de forma prematura por doenças relacionadas com o tabagismo, que é a principal causa de doenças e mortes evitáveis no país.

Em 2018, a agência publicou um artigo no New England Journal of Medicine sobre um um potencial padrão de produto de nicotina. Na projeção, até o ano 2100, seria possível alcançar 33 milhões de pessoas sem o hábito de fumar, taxa de tabagismo de 1,4% e 8 milhões de mortes a menos por doenças relacionadas ao tabaco. Atualmente, a taxa de tabagismo é de 12,5%.

“Pedimos que a FDA aja rapidamente para emitir uma regra proposta e estender sua estratégia de redução de nicotina a outros produtos de tabaco combustíveis, como charutos, narguilé e cachimbo que viciam as pessoas que os usam e causam sérios danos à saúde”, declarou, em nota, Nancy Brown, presidente da Associação Americana do Coração.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)