Clique e assine a partir de 9,90/mês

Exposição ao bisfenol A em grávidas eleva risco de câncer de mama

Contato com o composto químico, presente em diversos produtos de plástico, pode levar ao desenvolvimento de glândulas mamárias alteradas

Por Da Redação - 7 maio 2012, 17h18

Uma nova pesquisa mostrou que grávidas expostas ao bisfenol A (BPA), composto químico frequentemente usado na fabricação de produtos de plástico e de latas de alumínio, podem passar a desenvolver glândulas mamárias alteradas e apresentar um maior risco de câncer de mama. O estudo, que foi feito com fêmeas de macacos rhesus, foi publicado nesta segunda-feira no periódico PNAS.

Saiba mais

DOENÇAS MAMÁRIAS

Podem ser benignas, ou seja, não cancerosas, ou malignas. As doenças benignas são a maioria dos casos, não colocam a vida da mulher em risco e muitas vezes não exigem tratamento. Podem ser cistos mamários, fibroadenomas (pequenos nódulos nas glândulas mamárias) ou doença fibrocística, por exemplo. Casos malignos, ou seja, de câncer de mama, colocam a vida da paciente em risco e podem até acarretar a perda de uma mama. No entanto, é possível detectar o câncer em fase inicial e tratá-lo adequadamente.

Continua após a publicidade

O bisfenol A é um desregulador endócrino, ou seja, uma vez no organismo, imita a ação de hormônios, elevando problemas de saúde como obesidade e puberdade precoce. Estudos anteriores já haviam mostrado que camundongos expostos a pequenas quantidades de BPA tiveram alterada a estrutura de suas glândulas mamárias e foram levados a lesões pré-cancerosas.

Leia também:

Como manter o bisfenol A longe de seu filho

Exposição ao bisfenol A pode provocar doenças cardíacas a longo prazo

Continua após a publicidade

Nessa pesquisa, parte das fêmeas grávidas selecionadas para o estudo foi exposta ao BPA. Para isso, elas recebiam diariamente um pedaço de fruta que continha a substância quando estavam no período da gestação equivalente ao terceiro trimestre em humanos. Depois, os pesquisadores compararam suas glândulas mamárias logo após seus filhotes terem nascido às glândulas dos animais que não haviam entrado em contato com o composto. A equipe observou que as fêmeas expostas ao BPA apresentaram alterações no desenvolvimento e na estrutura das glândulas mamárias que são associadas a um maior risco de câncer de mama.

De acordo com os pesquisadores, é possível concluir que a exposição ao BPA durante a gestação pode ser prejudicial para o desenvolvimento das glândulas mamárias e pode desencadear lesões capazes de levar a um câncer de mama.

Publicidade