Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Curvas de mortes por Covid-19 têm cenário de estabilidade há sete dias

Redução constante no número de óbitos no início de agosto desacelerou na última semana; confira o levantamento feito por VEJA

Por Alexandre Senechal 19 ago 2021, 20h23

A queda constante no número de mortes por Covid-19 no Brasil dia após dia apresentada nos últimos dois meses não se repetiu na última semana. Apesar do aumento da vacinação, a fase de declínio da pandemia deu lugar a um cenário de estabilidade com a desaceleração da queda dos números nos últimos sete dias, de acordo com a avaliação dos infectologistas.

A definição é feita a partir de uma avaliação comparativa dos números apresentados em um dia em relação a duas semanas atrás. Os infectologistas definem a variação de 15% como o ponto de inflexão para que se mude a tendência da pandemia para alta, se o número for positivo, ou para queda, se for negativo, ou para um cenário de estabilidade, em caso de variação inferior a 15%.

É este último cenário que o Brasil apresenta nesta semana. Desde o final de junho até a última quarta-feira, 12, a média móvel de mortes só não apresentou uma queda maior do que 15% em comparação ao número de duas semanas atrás em quatro dias. Em toda a última semana, incluindo esta quarta-feira, 19, o Brasil teve um índice inferior a 15%. Nas últimas 24 horas, a queda foi de 7,47% – a menor queda desde o dia 25 de junho.

O Brasil registrou 36.315 novos diagnósticos positivos e 979 novas vítimas da Covid-19 nas últimas 24 horas. Ao todo, são 20.494.212 contaminados e 572.641 óbitos no território nacional durante toda a pandemia.

Confira a média móvel da pandemia da Covid-19 no Brasil, nas cinco regiões do país e em todos os Estados:

Continua após a publicidade

Confira a média móvel da pandemia da Covid-19 nas 27 capitais brasileiras, separadas em suas regiões*:

Continua após a publicidade

Publicidade