Clique e assine a partir de 9,90/mês

Coronavírus: hospitais Sírio e Einstein afastam 450 funcionários doentes

Estima-se que na rede pública já são cerca de mil profissionais da saúde nesta condição

Por Da Redação - Atualizado em 31 mar 2020, 13h08 - Publicado em 31 mar 2020, 11h25

As duas maiores referências em saúde de São Paulo na rede privada, os hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein, afastaram, juntos, 450 funcionários infectados por coronavírus, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

No Sírio são 104 profissionais da saúde na condição. Desse montante, cerca de cinco internados, como o cirurgião Raul Cutait, na UTI. No Einstein, o primeiro hospital a lidar com o coronavírus no Brasil, são 348 afetados e 13 internados. Estima-se que na rede pública de São Paulo já são cerca de mil afastamentos.

Em reportagem especial, VEJA acompanhou o cotidiano dos profissionais do Albert Einstein, onde foi confirmado o primeiro caso positivo de coronavírus no Brasil. Clique para ler a matéria na íntegra e assista ao vídeo:

Publicidade