Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Coronavírus: Brasil tem 11 casos suspeitos e nenhuma confirmação

Boletim médico informa que há quadros em investigação nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

Por Da Redação Atualizado em 5 fev 2020, 16h10 - Publicado em 5 fev 2020, 15h28

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (5) que o Brasil tem 11 casos suspeitos de coronavírus. De ontem para hoje, cinco casos foram descartados, um em Santa Catarina e quatro em São Paulo. Outros dois novos quadros em monitoramento em São Paulo e mais um no Rio Grande do Sul entraram para o levantamento.

Os estados com suspeitas da doença são: Rio de Janeiro (1), Rio Grande do Sul (5), Santa Catarina (1) e São Paulo (4). Até o momento, 21 casos já foram analisados e descartados. Destes, três pacientes foram testados em exames específicos para coronavírus e apresentaram diagnóstico negativo. Os outros não chegaram a esse ponto da análise por apresentarem outros tipos de viroses em exames iniciais.

Na China são 20 471 casos já confirmados; no resto do mundo são 159. O epicentro da infecção é na cidade de Wuhan, onde 29 brasileiros serão resgatados pelas Forças Armadas ainda nesta semana. A previsão de chegada é no próximo sábado, 8. Uma vez desembarcados no solo brasileiro, os resgatados passarão por quarentena de 18 dias na Base Aérea de Anápolis (GO).

Compra de equipamentos

No boletim também foi informado que o Ministério da Saúde abrirá uma licitação para compra de equipamentos de segurança pessoal, caso de luvas, óculos, roupas e máscaras descartáveis. O valor estimado para a compra é de 140 milhões de reais. A  compra ocorrerá mesmo que nenhum caso seja confirmado. Uma vez que os itens não sejam usados, serão encaminhados a santas casas, hospitais filantrópicos e secretarias de saúde.

Além disso, é prevista a locação de 1 000 leitos de UTI conforme casos confirmados apareçam. O custo estimado está entre 20 milhões e 30 milhões de reais para mantê-los mensalmente — o pagamento ficará a cargo do Governo Federal, por tempo determinado. Ao fim da epidemia de coronavírus, os leitos ficarão definitivamente nos hospitais para os quais foram direcionados.

Continua após a publicidade

Publicidade