Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

CDC deve suspender uso de máscaras nos Estados Unidos

A expectativa dos norte-americanos é que o órgão deixe de recomendar a utilização da proteção facial em ambientes fechados nos próximos dias

Por Simone Blanes Atualizado em 27 fev 2022, 16h50 - Publicado em 27 fev 2022, 16h43

Autoridades dos Estados Unidos afirmaram que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) deve afrouxar as diretrizes sobre o uso de máscaras em ambientes internos nos próximos dias. De acordo com as orientações atuais, o órgão recomenda que qualquer pessoa, que more em áreas com alta transmissão do coronavírus, use máscaras em espaços públicos fechados como academias, cinemas e igrejas. Isso significa que as pessoas que vivem em 95% dos estados norte-americanos devem continuar com a regra, já que o país atualmente registra uma média de cerca de 76 mil novos casos por dia.

Os cidadãos norte-americanos esperam, porém, que o CDC dê mais peso ao núnero de hospitalizações do que a contagem de casos como uma medida-chave para determinar se as pessoas estão sob alto perigo de contrair o vírus em uma determinada área geográfica. Ou seja, as novas normas provavelmente levarão em consideração a capacidade dos hospitais como um indicador do nível de risco. Com as internações diminuindo em todo o país, isso pode permitir que a grande maioria dos americanos deixe de usar suas máscaras. Cerca de 60 mil pessoas estão hospitalizadas com Covid-19 nos Estados Unidos, mas esses números caíram cerca de 44% nas últimas duas semanas.

A maioria dos estados já flexibilizou o uso de máscaras e alguns, como Nova Jersey, anunciaram planos para suspender a regra esmo nas escolas. Outros estão prontos para encerrar a exigência nas próximas semanas. Uma recomendação oficial do CDC, no entanto, pode ter uma influência essencial nos distritos mais cautelosos. Atualmente, as máscaras são exigidas no transporte público, incluindo aviões. No ano passado, o CDC foi duramente criticado por suspender as restrições de máscaras, durante a disseminação da variante delta no país. Desta vez, porém, especialistas em saúde pública apoiam o relaxamento do uso de máscaras.

Pesquisas recentes indicaram que o público está ansioso pela suspensão. Segundo uma pesquisa do Yahoo News/YouGov, quase metade dos americanos ​​acha que o país deveria “aprender a conviver” com o vírus “e voltar ao normal” e de acordo com uma pesquisa recente da Universidade de Monmouth, cerca de 70% dos disseram que “é hora de aceitar que a Covid-19 veio para ficar e precisamos continuar com nossas vidas”.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)