Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Leitor

"O presidente ainda não mostrou efetivamente qual o seu projeto de governo." Uriel Villas Boas, Santos, SP

Assuntos mais comentados

  • Prem Baba (Páginas Amarelas)
  • Entrevista com Jair Bolsonaro
  • Neymar (nota da seção Gente)
  • As mulheres casadas e o sexo
  • Congresso


BOLSONARO

VEJA acertou ao publicar a entrevista com o presidente Bolsonaro. Exerceu, com isenção, o verdadeiro papel da imprensa: a permanente e respeitosa fiscalização (“Não vou resolver na raça”, 5 de junho).
Jose Olimpio da Silva Castro
São Luís, MA

O presidente ainda não mostrou efetivamente qual o seu projeto de governo. Sabe-se apenas que usa mecanismos eletrônicos para fazer críticas aos aliados e adversários. Até quando vamos tolerar essa balbúrdia?
Uriel Villas Boas
Santos, SP

Ao acordar de manhã e pensar que Jair Bolsonaro é presidente do Brasil e Donald Trump é presidente dos Estados Unidos, sinto vontade de voltar a dormir ou me mudar para a Nova Zelândia.
Paulo Sergio Arisi
Porto Alegre, RS

Em que pesem os diversos reveses do Executivo, o maior obstáculo para a governabilidade de Jair Bolsonaro é o Congresso Nacional representado pelos partidos de oposição, capitaneados pelo PT, e por aquele bloco de legendas denominado “centrão”, cuja ideologia é pautada por cargos e benefícios à custa do Erário.
Valdomiro Nenevê
São José dos Pinhais, PR


PREM BABA

VEJA teve uma atitude muito profissional ao entrevistar Sri Prem Baba (“Eu fiquei menor”, Páginas Amarelas, 5 de junho) — aliás, não esperava outra postura da revista. Como acabo de postar na página de VEJA no Facebook, não me ponho em nenhum lado nessa história de acusações de assédio sexual — mas sempre vi Prem Baba como um ser humano como outro qualquer, passível de erros. Parabéns por terem tratado o assunto com ética, por evitarem o mundo das fake news.
Isabela Morato de Carvalho
São Paulo, SP

Tenho experiências maravilhosas com Prem Baba. Ele me tirou da mais profunda tristeza de alma e resgatou minha esperança. Devo minha vida a esse homem gentil e abençoado. Sofri muito com seu distanciamento. Trabalhar pelo despertar do amor e pela preservação da natureza, sobretudo da natureza feminina, é de fato um trabalho árduo e digno de perseguição nesta atual sociedade doente em que vivemos. Felizmente os senhores proporcionaram a ele um espaço para resposta. Ele nunca foi um abusador como “João de Deus”.
Rosemary Rizzardo
São Paulo, SP


 (Negreiros/VEJA)

Excelente a reportagem sobre o descontentamento das mulheres (‘Elas querem (mais) sexo’, 5 de junho). A revista poderia encomendar uma pesquisa nesses mesmos moldes mas que tivesse como alvo a satisfação (ou não) dos homens em relações estáveis. Seria muito interessante comparar os dois resultados.

João Manuel F.S.C. Maio - São José dos Campos, SP

NEYMAR

Com um salário equivalente a 13 milhões de reais por mês e pouco juízo, Neymar não consegue pagar pouco mais de 6 000 reais de impostos (“A dívida e a escola”, Gente, 5 de junho). Ao que tudo indica, como já ocorreu com outros tantos craques, a tendência é carreira curta, atropelada pelas sucessivas lesões e por uma profusão de vexames fora de campo.
Geraldo Lisbôa
Niterói, RJ


CENTRÃO

Os tempos já tomaram outros rumos. É pena que o novo governo ainda precise depender de negociações com “camaleões da velha política”, que só respiram emendas orçamentárias a seu favor, sem pensar na população que os elegeu. Rodrigo Maia, que sabe negociar com essa gente melhor que os novatos do PSL, tem uma oportunidade ímpar de inflar sua biografia política ao apoiar a reforma da Previdência sem muitos remendos (“O centro do Centrão”, 5 de junho). Infelizmente, será preciso liberar algumas “verbinhas” para obter os votos que economizarão 1,2 trilhão de reais em dez anos. Dar os anéis em lugar dos dedos.
Júlio César Drummond
Belo Horizonte, MG


REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Se a premente e inadiável reforma da Previdência não vingar, ou for aprovada apenas pela metade, só nos restará apelar à divina providência para que o país não vá de vez à bancarrota. Oremos (“Ajuste de contas”, 29 de maio).
J.S. Decol
São Paulo, SP

A grande dificuldade da aprovação da reforma da Previdência é uma de nossas características históricas: o culto ao privilégio de algumas castas. Romper essa tradição é nosso grande desafio.
José de Anchieta Nobre de Almeida
Rio de Janeiro, RJ


ALIMENTAÇÃO

A tríade açúcar, gordura e sal continua a saciar nossa vontade de delícias prontas e de acesso imediato. Ela assombra, porém, com os altos índices de doenças, como obesidade e diabetes, que acometem crianças e adolescentes. Bom mesmo é recorrer à boa comida da vovó, conforme ressalta a corajosa Marion Nestle em “Uma verdade indigesta”, na edição de 29 de maio. A vida tem mais sabor com saúde.
Luciana Barros
Itajubá, MG


J.R. GUZZO

A universidade gratuita combinada com a mediocridade do ensino básico é uma covardia, ao nível de escândalo, contra a população pobre pagante, como bem salientou J.R. Guzzo (“Roubar e roubar”, 29 de maio).
Flaudecy de Oliveira Manhães
Campos dos Goytacazes, RJ

Publicado em VEJA de 12 de junho de 2019, edição nº 2638