Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

‘Adiós’, comunismo

A ilha admite o casamento gay, mas sem democracia

Por Leonardo Coutinho
Atualizado em 4 jun 2024, 16h23 - Publicado em 27 jul 2018, 07h00

A Assembleia Nacional cubana aprovou, no domingo 22, uma nova Constituição. Sem nenhuma surpresa, o texto, que depende de um referendo para entrar em vigor, é uma tentativa do regime de perpetuar-se, como fazem todos os regimes. O primeiro passo para a mudança deu-se em abril, quando Raúl Castro transferiu a Presidência para Miguel Díaz-Canel, o primeiro civil no cargo em quase seis décadas de ditadura. A nova Carta Magna reconhece a união civil de homossexuais e recria o posto de primeiro-ministro, extinto em 1976. A palavra “comunismo” foi trocada por “socialismo” e a propriedade privada, já existente em formas rudimentares desde 2011, passou a ser reconhecida.

O objetivo da iniciativa é convencer investidores estrangeiros a injetar dólares na economia e, assim, aliviar a penúria local, que se agudizou desde o colapso da União Soviética, em 1991. Nos anos 2000, o patrocínio soviético foi substituído pelos petrodólares de Hugo Chávez, que, no entanto, pararam de chegar com o colapso da economia venezuelana. A nova Constituição, porém, não contempla nenhuma abertura política. Em certo sentido, Cuba está fazendo uma tentativa de substituir seu passado soviético por um futuro chinês — no qual a ditadura se mantém, sob a hegemonia de um partido comunista, mas os negócios podem ser feitos à luz do dia.

Publicado em VEJA de 1º de agosto de 2018, edição nº 2593


Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.