Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Moraes mandou apreender armas de Roberto Jefferson

Ex-deputado fez postagem com arma em punho na qual pediu que o presidente Bolsonaro 'demitisse' os ministros do Supremo

Por João Pedroso de Campos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 Maio 2020, 14h10 - Publicado em 27 Maio 2020, 13h36

No mandado de busca e apreensão contra o ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB e aliado do presidente Jair Bolsonaro, o ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura fake news e ataques virtuais a autoridades, determinou a apreensão de armas de Jefferson pela Polícia Federal. No início do mês, o ex-parlamentar fez uma publicação nas redes sociais empunhando uma arma e pediu ao presidente que “demitisse” os ministros do STF.

“Estou me preparando para combater o bom combate. Contra o comunismo, contra a ditadura, contra a tirania, contra os traidores, contra os vendilhões da Pátria. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, escreveu o ex-deputado, condenado e preso no escândalo do mensalão, em publicação acompanhada de uma foto que o mostra com um fuzil à mão. 

Pouco antes, o mensaleiro havia tuitado que o presidente deveria “demitir e substituir” os ministros do Supremo, classificados por ele como “herança maldita”. “Bolsonaro, para atender o povo e tomar as rédeas do governo, precisa de duas atitudes inadiáveis: demitir e substituir os 11 ministros do STF, herança maldita. Precisa cassar, agora, todas as concessões de rádio e TV das empresas concessionárias GLOBO. Se não fizer, cai”, escreveu. 

Na decisão, Moraes anotou que “os documentos e informações juntados aos autos até o momento, notadamente as reiteradas postagens em redes sociais de mensagens contendo graves ofensas a esta Corte e seus integrantes, com conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática, conforme se vê dos relatórios juntados nestes autos no Apenso 71, fornecem sérios indícios da prática de crimes por ROBERTO JEFFERSON MONTEIRO FRANCISCO”.

Continua após a publicidade

Além de armamento, Moraes também determinou a busca e apreensão de computadores, tablets, celulares e “quaisquer outros materiais relacionados à disseminação das aludidas mensagens ofensivas e ameaçadoras em poder do investigado Roberto Jefferson nos endereços residencial e profissional identificados pela autoridade policial”.

O ministro ainda autorizou o bloqueio das contas do ex-deputado nas redes sociais, apontado por Moraes como “necessário para a interrupção dos discursos criminosos de ódio e contrário às Instituições Democráticas”.

Veja aqui a decisão de Alexandre de Moraes sobre Roberto Jefferson.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.