Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Milionários, ministros de Temer ganham auxílio moradia

Ministro das Cidades, Alexandre Baldy, usa apartamento funcional da Câmara mesmo tendo imóvel próprio em Brasília

Por Da redação 3 fev 2018, 15h07

Assim como boa parte dos membros do judiciário, alguns ministros do governo do presidente Michel Temer também recebem dos cofres públicos auxílio moradia.

O caso que mais chama atenção é o do ministro das Cidades, Alexandre Baldy, que tem à sua disposição um apartamento funcional de mais de 200 metros e, simultaneamente, mora em uma casa no Lago Sul de Brasília, adquirida em 2016 por 7,6 milhões de reais. As informações foram publicadas na edição deste sábado no jornal Folha de S. Paulo.

A legislação federal proíbe o recebimento do benefício para ministros que tenham imóvel próprio na capital federal. A reportagem do jornal visitou o local e constatou que ele seria usado por assessores de Baldy. O ministro afirmou, por meio de sua assessoria, que o apartamento estava sendo utilizado “com o objetivo de dar suporte às atividades funcionais que não são realizadas em sua residência, para preservar a rotina e necessidades de seus filhos, esposa e demais familiares”.

Apesar disso, afirmou que não vê mais necessidades de ficar com o apartamento, “o qual já acredita ter sido entregue para a Câmara”. A Casa Legislativa, no entanto, informou que a devolução não havia sido feita até sexta-feira (2). No pleito de 2014, quando se elegeu deputado federal, Baldy declarou ter bens que totalizavam 4,2 milhões de reais.

Outro ministro que tem ao seu dispor um apartamento funcional é o da Agricultura, Blairo Maggi. Na eleição de 2010, ele declarou à Justiça um patrimônio de 143,3 milhões de reais, além de já ter sido citado na lista da revista Forbes de 2015 como o segundo político mais rico do Brasil, com bens avaliados em torno de  1,2 bilhão de dólares.

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Helder Barbalho (Integração Nacional) também recebem 7.733,68 reais de auxílio moradia. Na eleição de 2010, Padilha declarou um patrimônio de 2,7 milhões de reais, enquanto Barbalho comunicou ter 2,3 milhões de reais no pleito de 2014.

Blairo Maggi afirmou que não tem residência em Brasília e que, por isso, usa o apartamento funcional do Senado, da onde está licenciado. Barbalho também afirmou que não tem casa em Brasília. Já Padilha disse que cumpre a legislação.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês