Clique e assine a partir de 9,90/mês

Manifestantes fantasiados invadem o Palácio Guanabara

Protesto foi pacífico. Em nota, o governador Sérgio Cabral afirma que quinze entraram no Salão Nobre e serão responsabilizados criminalmente

Por Da Redação - 22 set 2013, 21h22

O Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, foi palco de um protesto em ritmo de carnaval no início da madrugada de domingo. Após participarem de um baile de máscaras na Praça São Salvador, em Laranjeiras, um grupo de cerca de 60 pessoas invadiu as varandas do local ao som de marchinhas. Um vídeo, publicado no You Tube, mostra o momento em que os jovens, que protestavam contra a proibição do uso de máscaras em atos no Rio, ultrapassaram as fitas amarelas que isolavam o prédio e ocuparam as escadarias e a entrada principal do prédio.

https://youtube.com/watch?v=5_dkqbKtU0I

O movimento pegou de surpresa os quatro policiais militares que vigiavam o palácio. Os foliões manifestantes gritavam palavras de ordem contra o governador do Rio, Sérgio Cabral, e perguntavam “Cadê o Amarildo?”, em referência ao ajudante de pedreiro desaparecido desde o dia 14 de julho. Em clima de festa, e com copos nas mãos, o grupo pediu “Choque de Amor”, em recado para o Batalhão de Choque da Polícia Militar, e ensaiou um abraço coletivo nos PMs, que recusaram o contato.

O ato ocorreu de forma pacífica, sem depredação ou confronto com a polícia, mas indignou moradores vizinhos ao palácio, já cansados com a intensa agenda de protestos nas imediações da sede do governo estadual.

Em nota, o governador Sérgio Cabral repudiou o ato e afirmou que os manifestantes “serão responsabilizados criminalmente”. De acordo com o informe do governo, cerca de 15 pessoas que participaram do protesto arrombaram e invadiram o Salão Nobre. Policiais do 2º BPM (Botafogo) e do Batalhão de Choque foram acionados, mas os jovens deixaram o prédio sem a necessidade de reforço policial. O caso foi registrado na 9ª DP (Catete). Uma perícia indicou que não houve danos no interior do Salão Nobre.

Continua após a publicidade

Leia também:

Polícia faz segunda reconstituição do sumiço de Amarildo

Alerj aprova projeto que proíbe máscaras em protestos

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade