Clique e assine a partir de 9,90/mês

Juiz determina que Facebook tire do ar ofensas a Marielle

Publicações com informações falsas de conteúdo criminoso devem ser apagadas em 24 horas

Por Da redação - Atualizado em 28 Mar 2018, 16h48 - Publicado em 28 Mar 2018, 16h12

A Justiça do Rio de Janeiro determinou que o Facebook tire do ar posts com “informações falsas de conteúdo criminoso” sobre a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada no dia 14. O juiz Jorge Jansen Counago Novelle, da 15ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do estado (TJRJ), ordenou, em liminar, que publicações sejam removidas no prazo de 24 horas.

A ação foi movida por Mônica Benício, viúva de Marielle, e Anielle Silva, irmã da parlamentar, contra as notícias falsas, as chamadas fake news, criadas para difamar a vereadora. 

O magistrado também determinou que a rede social utilize todas as ferramentas disponíveis para impedir a publicação de novas postagens ofensivas à vereadora e que informe se os perfis de Luciano Ayan, Luciano Henrique Ayan e Movimento Brasil Livre (MBL) patrocinaram as postagens.

Na decisão, Jorge Novelle destacou que o Facebook tem recursos para excluir as postagens que ofendem a honra de Marielle Franco e que é inaceitável que a memória da parlamentar continue sendo desrespeitada.

Continua após a publicidade

Em nota, a assessoria de imprensa do Facebook afirmou que a empresa “respeita a justiça e removerá os conteúdos específicos de URL indicados nos autos, conforme prevê a legislação brasileira”. 

 

Publicidade