Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Datafolha em SP: João Doria tem 25% e Paulo Skaf, 22%

Tucano e emedebista continuam empatados dentro da margem de erro de dois pontos percentuais. Márcio França sobe três pontos e chega a 14%

Por João Pedroso de Campos Atualizado em 28 set 2018, 20h12 - Publicado em 28 set 2018, 19h23

O Datafolha publicou nesta sexta-feira, 28, uma nova pesquisa eleitoral para a disputa pelo governo de São Paulo. O levantamento mostra que persiste o empate técnico entre João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB) dentro da margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Doria tinha 26% na pesquisa anterior e agora aparece com 25%; Skaf manteve os 22% indicados no Datafolha anterior.

O atual governador de São Paulo, Márcio França (PSB), é o terceiro colocado, com 14% das intenções de voto – oscilação de três pontos porcentuais em relação à pesquisa da semana passada.

Em seguida vêm Luiz Marinho (PT), com 5%; Major Costa e Silva (DC), com 3%; e Professora Lisete (PSOL), com 2%. Marcelo Cândido (PDT), Professor Cláudio Fernando (PMN), Rodrigo Tavares (PRTB), Toninho Ferreira (PSTU), Lilian Miranda (PCO) e Rogério Chequer (Novo) têm, todos, 1%.

Eleitores que pretendem votar branco ou nulo somam 15%. Não souberam responder ou não responderam 8% dos eleitores.

A nova pesquisa Datafolha para o governo de São Paulo ouviu 2.100 eleitores em 65 municípios paulistas entre os dias 26 e 28 de setembro. O levantamento está registrado junto ao Tribunal Superior Eleitoral sob a identificação SP-07221/2018.

  • Rejeição

    O Datafolha também apurou a rejeição aos candidatos ao governo de São Paulo, perguntando aos entrevistados em quais postulantes ao Palácio dos Bandeirantes eles não votariam de jeito nenhum. Neste caso, o número total é superior a 100% porque os eleitores podem indicar mais de um candidato.

    O mais rejeitado é João Doria, com 38%, seguido por Paulo Skaf e Luiz Marinho, ambos com 27% de rejeição; Toninho Ferreira, com 22%; Major Costa e Silva, com 21%; Lilian Miranda, com 20%; Marcelo Cândido, com 19%; Rogério Chequer, com 18%; Márcio França, Professora Lisete e Rodrigo Tavares, com 17% cada um; e Professor Claudio Fernando, com 16%.

    Continua após a publicidade

    Responderam que rejeitam todos os candidatos ou não votariam em nenhum 8% dos eleitores. Votariam em qualquer um ou não rejeitam nenhum, 3%. Não souberam responder 8%.

    Segundo turno

    O instituto de pesquisas testou seis cenários para disputas de segundo turno, considerando os nomes de João Doria, Paulo Skaf, Márcio França e Luiz Marinho.

    Em uma disputa entre Doria e Skaf, o emedebista venceria o tucano por 41% a 36%, com 20% de brancos e nulos e 35 de indecisos.

    Se o adversário de João Doria fosse França, o ex-prefeito paulistano venceria o atual governador paulista por 41% a 34%, com 20% de brancos e nulos e 4% de indecisos.

    Diante de Luiz Marinho, Doria venceria por 47% a 27%. Neste cenário, votariam em branco ou nulo 23% e não saberiam em quem votar 4%.

    Em um cenário que opõe Paulo Skaf e Márcio França, o presidente licenciado da Fiesp vence por 41% a 35%, com 20% de brancos e nulos e 5% de indecisos.

    Se a disputa fosse entre Skaf e Marinho, o candidato do MDB venceria o do PT por 50% a 21%. Brancos e nulos somariam 24% e indecisos, 5%.

    Considerando como adversários Márcio França e Luiz Marinho, o pessebista venceria o petista por 45% a 21%, com 27% de brancos e nulos e 7% de indecisos.

    Continua após a publicidade
    Publicidade