Clique e assine a partir de 9,90/mês

Conselho de ética da Presidência arquiva investigação contra Wajngarten

Colegiado decidiu não dar seguimento ao inquérito preliminar que apurava possível conflito de interesses do chefe da Secom

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2020, 16h05 - Publicado em 18 fev 2020, 15h34

O Conselho de Ética da Presidência da República decidiu, por 4 votos a 2, arquivar o procedimento que investigava o possível conflito de interesses do chefe da Secretaria de Comunicação (Secom), Fabio Wajngarten.

A investigação preliminar foi aberta após uma série de reportagens da Folha de S.Paulo, que revelou que Wajngarten é sócio de uma empresa de comunicação que recebe recursos de emissoras de televisão e agências de publicidade que ele próprio contrata na Secom.

Em entrevista às Páginas Amarelas de VEJA, no início do mês, Wajngarten afirmou que não há conflito de interesses no caso e se disse alvo de perseguição política. “Os contratos dos dois lados foram assinados muito antes da minha chegada”, justificou.

O relator do procedimento foi Gustavo do Vale Rocha, secretário de Justiça do Distrito Federal e ex-ministro de Direitos Humanos de Michel Temer. Rocha recomendou o arquivamento da investigação e foi acompanhado por André Ramos Tavares, Milton Ribeiro e Paulo Henrique dos Santos Lucon.

Continua após a publicidade

Segundo o relator, não houve situação de conflito de interesses. Já os conselheiros Erick Biill Vidigal e Ruy Martins Altenfelder da Silva consideraram haver indícios de irregularidade e votaram contra Wajngarten.

Publicidade