Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Carlos Bolsonaro nega overdose de cocaína

O filho do presidente foi à internet para rebater boatos espalhados por opositores

Por Gustavo Silva
Atualizado em 17 out 2022, 10h10 - Publicado em 16 out 2022, 10h30

O vale-tudo nas redes sociais continua gerando novos capítulos cada vez mais mirabolantes na disputa pelo controle da narrativa no segundo turno das eleições de 2022. Apontado no relatório final da CPI da Covid como um dos comandantes da uma rede de fake news durante a pandemia, Carlos Bolsonaro (Republicanos) foi alvo de ataques coordenados de uma notícia falsa, que tenta associá-lo ao uso de drogas ilícitas, atitude que o vereador do Rio de Janeiro repudia.

Desta vez, a partir de uma informação verídica, de que o filho 03 do presidente havia passado mal e foi levado ao Hospital das Forças Armadas, em Brasília, na última sexta-feira, 14, o boato criado foi de que Carlos Bolsonaro teria sofrido uma overdose de cocaína. O motivo para o político “ter se enfiado nas drogas” teria sido a campanha de Jair Bolsonaro (PL), que não estaria indo bem na virada contra Lula (PT).

O vereador, então, usou o perfil oficial no Twitter para rebater a informação, que se espalhou rapidamente entre grupos de opositores e chegou a ser trending topics na plataforma digital. “Passei no hospital e fui embora rapidamente. Quantas histórias loucas e maldosas”, declarou o político.

Um dos principais divulgadores da atoada foi o grupo Anonymous, que havia veiculado um suposto vídeo de Nikolas Ferreira (PL-MG), deputado federal mais votado do país, fazendo sexo oral em outro homem. 

Continua após a publicidade

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.