Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Câmara aprova continuidade do processo de impeachment de Crivella

Prefeito é acusado de irregularidades em contratos de publicidade em pontos de ônibus e relógios de rua, com prejuízo superior a 8 milhões de reais

Por Da Redação - Atualizado em 26 abr 2019, 17h09 - Publicado em 26 abr 2019, 16h17

A comissão processante de impeachment da Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovou, nesta sexta-feira, 26, a continuidade do processo contra o prefeito Marcelo Crivella (PRB). A decisão de seguir com o processo foi aprovada por 2 votos a 1. O prefeito da cidade é acusado de irregularidades em contratos de publicidade em pontos de ônibus e relógios de rua, que teriam dado prejuízo superior a 8 milhões de reais.

Votaram pela continuidade do processo o presidente da comissão Willian Coelho (MDB) e o relator Luiz Carlos Ramos Filho (Podemos). O voto contra foi do aliado de Crivella Paulo Messina (PROS), ex-secretário da Casa Civil, que reassumiu sua vaga na Câmara de Vereadores para reforçar a base de apoio da prefeitura.

O próximo passo da comissão será a coleta dos depoimentos de testemunhas de acusação e defesa nos dias 10 e 13 de maio e continuar com as investigações sobre a existência de interesse público na prorrogação do contrato de publicidade. Crivella nega as acusações.

A comissão processante tem noventa dias para apresentar relatório contra ou a favor do impeachment do prefeito. Formada por três vereadores, a comissão é presidida por Coelho. O relator Luiz Carlos Ramos Filho é filho do ex-secretário de Relações Institucionais da gestão Crivella, o deputado federal Luiz Carlos Ramos, e Messina é conhecido nos bastidores da política do Rio como uma espécie de “primeiro-ministro” do governo.

Publicidade

(Com Agência Brasil)

Publicidade