Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

STF impede Coaf de passar informações sem autorização judicial

Thomas Traumann analisa as causas da decisão de Dias Toffoli de brecar investigações do Coaf

O ministro Dias Toffoli decidiu sozinho suspender as investigações policiais que são oriundas de informações do Coaf, órgão que analisa quando há alguma anomalia nas transações financeiras.

O primeiro beneficiário dessa decisão é o senador Flávio Bolsonaro, investigado pela Justiça do Rio de Janeiro por ter movimentado mais dinheiro do que os seus rendimentos permitiriam. A medida também beneficia Fabricio Queiroz, que justificou os milhões de reais que passavam pela sua conta bancária como resultado de compra e venda de carros.

Só que a história é mais complicada. Dias Toffoli paralisou todas as trocas de informações feitas pelo Coaf. Então, a partir de agora, um delegado ou procurador que acha que precisa ter informações bancárias para conseguir manter uma investigação terá que pedir autorização para um juiz. Isso vai tornar ainda mais lenta a solução de inquéritos que envolvem lavagem de dinheiro.

Mas vai além. Existem investigações preliminares da receita sobre alguns dos ministros do Supremo.

O jornalista Thomas Traumann analisa o caso neste episódio do podcast Traumann Traduz:

Veja também