Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Trump se opõe a modificações das regras de debates eleitorais

Principais membros da campanha do republicano afirmaram que ele continuará participando dos eventos; as mudanças ainda não foram detalhadas

Por Da Redação Atualizado em 1 out 2020, 20h29 - Publicado em 1 out 2020, 20h23

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira, 1º, que se opõe a uma mudança das regras dos debates eleitorais, após um primeiro duelo caótico, na terça-feira 29, no qual o republicano foi muito criticado por constantemente interromper seu adversário, o democrata e ex-vice-presidente Joe Biden.

“Por que permitiria que a Comissão de Debates mudasse as regras dos próximos encontros quando ganhei com folga na última vez?”, tuitou o presidente, que se declarou vencedor várias vezes, citando pesquisas não identificadas.

Duas enquetes distintas, das emissoras CBS News e CNN, dizem o contrário. Enquanto a primeira apontou uma leve preferência dos espectadores por Biden (48% contra 41%), a segunda estimou que 60% deu a vitória ao democrata.

Independentemente de quem “venceu” o debate, o primeiro debate televisivo da corrida eleitoral deste ano pareceu mais, com destacou a jornalista Lisa Lerer, do New York Times, uma “derrota” para todos os americanos. E o principal alvo das críticas é o presidente, em especial por constantemente interromper seu adversário.

Trump foi desaprovado até mesmo por membros do Partido Republicano, incluindo um de seus principais aliados, o líder da maioria republicana no Senado, o senador Mitch McConnell, que ainda chamou de “inaceitável” o fato do presidente ter se recusado a condenar supremacistas brancos durante o debate.

Continua após a publicidade

O moderador do primeiro duelo entre Trump e Biden, o jornalista Chris Wallace, da emissora Fox News, considerou o evento “frustrante”, e culpou o presidente por isso.

“[Trump] tem a responsabilidade primária pelo que aconteceu”, disse Wallace em entrevista ao Times publicada na quarta-feira 30. “Foi frustrante para mim porque tentei muito me preparar para um debate sério”, concluiu.

Os organizadores dos debates presidenciais nos Estados Unidos anunciaram na quarta-feira 30 que é necessária uma “estrutura adicional para garantir uma discussão mais ordenada”, mas até agora não detalharam como os próximos debates serão diferentes.

O segundo debate presidencial está programado para 15 de outubro, em Miami, e o terceiro e último, para o dia 22, em Nashville. Principais membros campanha de Trump afirmaram que ele continuará participando dos eventos.

Além dos embates entre Biden e Trump, haverá na quarta-feira, 7, o primeiro e único debate entre os candidatos à vice-presidência: o atual vice-presidente americano, Mike Pence, e a senadora Kamala Harris.

(Com AFP)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês