Clique e assine com até 92% de desconto

Trump chama Bloomberg de ‘maior perdedor’ da Super Terça

Presidente americano assiste à disputa democrata e culpa 'egoísmo' de Warren pelo resultado abaixo do esperado de Sanders

Por Amanda Péchy Atualizado em 4 mar 2020, 16h55 - Publicado em 4 mar 2020, 16h16

Durante a apuração dos votos das prévias democratas da Super Terça nos Estados Unidos, nesta quarta-feira, 4, o presidente americano, Donald Trump, fez comentários sarcásticos sobre os resultados por meio de sua conta no Twitter. Usando uma profusão de apelidos que usa para designar os pré-candidatos da oposição, vangloriou-se de suas vitórias nas primárias republicanas e fez chacota da performance dos concorrentes.

Trump chamou de “Pocahontas” a senadora Elizabeth Warren, que alegou no passado ter origem indígena. Atacou “Mini Mike” ao referir-se ao magnata Michael Bloomberg, em alusão a sua estatura não tão avantajada como a do próprio presidente americano, e “Joe Dorminhoco” para designar o ex-vice-presidente Joe Biden,

Após os resultados decepcionantes nos 14 estados e um território que participaram da prévia, Bloomberg anunciou o encerramento da campanha, ao que o líder americano prontamente respondeu, citando o democrata: “Mini Mike: ‘há três meses, entrei na corrida para o presidente derrotar Donald Trump (e falhei miseravelmente!)'”.

Mesmo com cerca de 500 milhões de dólares investidos em sua campanha, o magnata das comunicações conseguiu apenas 12 delegados na Super Tuesday, por enquanto, segundo a agência Associated Press (AP), vencendo apenas no território de Samoa Americana.

Assistindo à disputa de camarote, como se não estivesse participando dela, Trump também aproveitou para dizer que Bloomberg “não tinha o que era preciso” para a corrida pela Casa Branca, e que “não vai conseguir salvar a reputação investindo dinheiro na campanha do Joe Dorminhoco”, referindo-se ao recém declarado apoio do bilionário a Biden.

Afirmou ainda que “essa foi a pior e mais embaraçosa experiência” da vida de Bloomberg, e que ele foi o “maior perdedor” da prévia.

Elizabeth Warren foi igualmente alvo da chacota presidencial, acusando-a de egoísmo por permanecer na corrida eleitoral. “Ela tem zero de chance de chegar perto de ganhar, mas prejudica Bernie gravemente. Adeus à maravilhosa amizade liberal. Será que ele nunca mais vai falar com ela?”, disse Trump.

Continua após a publicidade

O republicano também destacou o fato de que Warren não conseguiu a vitória nem em seu próprio estado, Massachusetts, onde ficou em terceiro lugar, com 21% dos votos. Ela ganhou apenas 36 delegados até o momento, segundo a AP.

O presidente também afirmou que se Warren não estivesse na corrida, “Bernie Sanders teria facilmente vencido em Massachusetts, Minnesota e Texas” – todos deram vitória a Biden. Também previu que a senadora não entrará para a história como vencedora, “mas pode muito bem ficar marcada como a maior desmancha prazeres de todos os tempos!”

Sobre Sanders, Trump fez menos comentários, limitando-se a dizer que “o establishment democrata se uniu e esmagou Bernie Sanders novamente!”, em referência à sua derrota do senador contra a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, em 2016. O republicano chamou a situação de “tempestade perfeita”, que, segundo ele, favoreceu Biden.

  • O auto-declarado socialista democrata Sanders venceu, até agora, na Califórnia, no Colorado, em Utah e em Vermont, seu estado. Enquanto isso, o moderado Biden atingiu a marca de 507 delegados, levando Alabama, Arkansas, Massachusetts, Minnesota, Carolina do Norte, Oklahoma, Tennessee, Texas e Virgínia. O Maine segue em apuração.

    Para ganhar a Convenção Democrata, onde o partido nomeia o candidato oficial para concorrer na eleição de 3 de novembro, é preciso obter 1.991 delegados. Caso nenhum dos dois consiga o valor até o fim das prévias, em junho, cabe aos próprios delegados negociar o apoio, na chamada convenção intermediada.

    Continua após a publicidade
    Publicidade