Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Dos 64 mortos em shopping na Sibéria, 41 eram crianças

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, prometeu que "todos os culpados serão punidos"

Por EFE Atualizado em 27 mar 2018, 15h01 - Publicado em 27 mar 2018, 07h54

Das 64 pessoas mortas no incêndio no último domingo em um shopping da cidade de Kemerovo, na Sibéria, 41 são crianças, segundo as listas divulgadas nesta terça-feira pelo gabinete de crise organizado pelos familiares das vítimas, informaram veículos de imprensa locais.

Um grupo de cidadãos que visitou hoje o necrotério de Kemerovo confirmou o número de mortos divulgado pelas autoridades. “Há uma lista de 64 mortos. Examinamos os corpos e, a julgar pelos seus tamanhos, havia cerca de vinte adultos e o resto eram crianças”, disse um dos membros do grupo na concentração que acontece em frente à sede da administração regional de Kemerovo, segundo a agência Interfax.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, que no início da manhã depositou flores no local da tragédia, se reuniu com esse grupo de cidadãos no necrotério e prometeu que “todos os culpados serão punidos”.

Em reunião com autoridades locais e federais transmitida ao vivo pela televisão, o líder foi informado das medidas de assistência aos familiares dos mortos e feridos, assim como dos primeiros avanços da investigação.

O presidente do Comitê de Instrução da Rússia (CIR), Alexcandr Bastrikin, afirmou que o incêndio teve início em uma praça de jogos infantis no 4º andar do shopping, de nome Zimnaya Vishnia (Cereja de Inverno). “Há duas hipóteses: uma, um curto-circuito provocado por defeitos do sistema elétrico, e a outra – que acreditamos ser muito menos possível – é que alguém tenha acendido um fogo”, disse.

Bastrikin afirmou que logo após o início do incêndio “a maior parte do pessoal (do shopping) fugiu, abandonando as crianças e seus pais”. “Os funcionários responsáveis pela segurança, por organizar a evacuação, foram os primeiros a sair correndo”, denunciou Bastrikin, acrescentando que entre os funcionários do shopping “praticamente não houve vítimas”.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês