Clique e assine com até 92% de desconto

Rainha Elizabeth reconhece que 2019 foi ano ‘conturbado’ para Reino Unido

Monarca foi criticada por ignorar fotos de Meghan Markle, do príncipe Harry e do neto Archie em seu retrato oficial de Natal

Por Da redação 25 dez 2019, 15h11

A rainha Elizabeth II reconheceu que 2019 foi um ano “bastante conturbado” para a Família Real e para o Reino Unido, em sua mensagem oficial de Natal nesta quarta-feira, 25.

“O caminho, é claro, nem sempre é tranquilo e, às vezes, este ano pareceu bastante conturbado”, disse a rainha.

No último ano, a política britânica foi tomada pela discussão e pelos constantes contratempos do Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia. A Família Real também foi abalada por escândalos internos, com rumores de inimizade entre as família dos príncipes Harry e William e o suposto envolvimento do príncipe Andrew, o terceiro filho da rainha, em um caso de abuso sexual.

“A reconciliação raramente acontece do dia para a noite”, afirmou a rainha nesta quarta, em uma aparente referência ao Brexit. “Leva tempo e paciência para reconstruir a confiança”.

A imprensa internacional acompanha o drama do Palácio de Buckingham de perto. Segundo os rumores, Harry e William estariam brigados desde que o irmãos mais velho expressou sua desaprovação ao casamento de William com Meghan Markle após pouco tempo de namoro. O casal teria se ressentido com a observação e, desde então, o drama familiar se instalou.

Os rumores de que a relação dos príncipes Harry e William estaria passando por momentos difíceis e de que os demais membros da Família Real nutrem certa antipatia por Meghan ganharam mais força neste Natal, quando a rainha Elizabeth II publicou seu tradicional retrato de fim de ano e o casal, assim como o filhinho deles, Archie, ficou de fora.

A imagem mostra a monarca ao lado de uma série de porta-retratos com fotos de família. William, sua mulher, Kate Middleton, e os três filhos; o príncipe Phiillip e o príncipe Charles com Camilla Parker-Bowles estão nas fotografias – mas não a família de Harry.

Em seu pronunciamento nesta quarta, Elizabeth tentou colocar panos quentes, e afirmou que o nascimento do bisneto Archie trouxe enorme “alegria” para a família e para o Palácio de Buckingham.

Continua após a publicidade

View this post on Instagram

This year marked the 75th anniversary of D-Day and in today's Queen's Christmas Broadcast Her Majesty reflects on the commemorations. “For the Seventy-Fifth Anniversary of that decisive battle, in a true spirit of reconciliation, those who had formerly been sworn enemies came together in friendly commemorations either side of the Channel, putting past differences behind them. "By being willing to put past differences behind us and move forward together, we honour the freedom and democracy once won for us at so great a cost.” . Speaking about the life of Jesus and importance of reconciliation The Queen said: "…How small steps taken in faith and in hope can overcome long-held differences and deep-seated divisions to bring harmony and understanding… The path, of course, is not always smooth, and may at times this year have felt quite bumpy, but small steps can make a world of difference.” . Watch The Queen's Christmas broadcast in full in our IGTV video. #HappyChristmas

A post shared by The Royal Family (@theroyalfamily) on

Andrew fora dos holofotes

O príncipe Andrew evitou nesta quarta-feira os holofotes e não participou da tradicional caminhada da Família Real até a Igreja de Santa Maria Madalena para uma celebração de Natal.

Elizabeth e seus netos e bisnetos compareceram à missa das 11 horas da manhã (hora local). Andrew, contudo, foi filmado caminhando com seu irmão, príncipe Charles, para a cerimônia das 9 horas.

De acordo com a imprensa britânica, ele tomou a decisão pessoal de não participar da cerimônia e ficou em casa com seu pai, o príncipe Philip, que teve alta do hospital nesta terça-feira 24 após passar quatro dias internado. O Palácio de Buckingham se negou a comentar o caso.

Andrew anunciou no final de novembro que não iria mais participar de compromissos públicos durante um “futuro próximo”, após o escândalo gerado por sua amizade com o empresário americano Jeffrey Epstein, acusado de agressão sexual e que foi encontrado morto na prisão em agosto.

O príncipe, que frequentava a casa de Epstein, foi acusado de abusar de uma jovem de 17 anos de idade. Segundo Virginia Roberts Giuffre, ela foi obrigada a manter relações sexuais com o duque de York no chão de uma casa em Londres.

Continua após a publicidade
Publicidade