Clique e assine a partir de 8,90/mês

Quais foram os principais terremotos do mundo nos últimos 30 anos

Tremor de 9,1 graus de magnitude, seguido por um tsunami, fez mais de 220 mil vítimas por toda a Ásia em 2004

Por Da redação - 9 set 2017, 08h19

Cerca de uma dúzia de terremotos de magnitude igual, ou superior, ao que atingiu o México (8,2 pontos na escala Richter) na madrugada desta sexta-feira, 8, sacudiram o planeta nas últimas três décadas.

Confira abaixo os principais sismos dos últimos 30 anos:

Ásia (2004)

Terremoto no Sri Lanka
Colombo, capital do Sri Lanka – 28/12/2004 Scott Barbour/Getty Images

Em 26 de dezembro de 2004, um terremoto de magnitude 9,1 na costa de Sumatra, na Indonésia, provocou um gigantesco tsunami que afetou a costa de uma dezena de países do Sudeste Asiático, deixando mais 220.000 mortos.

Com uma velocidade de 700 km/h, os tsunamis levam poucas horas para alcançar a costa, como uma parede de água que, por vezes, chega a dez metros.

A primeira região atingida foi a província indonésia de Aceh. Depois, foi a vez das ilhas indianas de Andaman e Nicobar, do sudoeste da Tailândia  com seus resorts lotados de turistas estrangeiros , Malásia, Mianmar, Sri Lanka e Maldivas. A costa leste da África também foi atingida, seis horas depois do terremoto.

Japão (2011)

Terremoto no Japão
Kesennuma, no Japão, 21/03/2011 Chris McGrath/Getty Images

Em 11 de março, um terremoto de magnitude 9,1, seguido por um tsunami, devastou a região de Tohoku (nordeste), deixando cerca de 19.000 mortos, ou desaparecidos, além de causar um grave acidente nuclear na usina de Fukushima.

Menos de uma hora depois do abalo sísmico, uma onda gigantesca de 20 metros de altura em alguns pontos devastou o litoral, arrastando tudo o que encontrava pela frente. Destruiu portos, casas, escolas e fábricas.

A catástrofe deixou cerca de 18.500 mortos, aos quais se somaram 3.000 pessoas falecidas posteriormente, em razão da tragédia.

Outros grandes terremotos

Chile (2010)

Terremoto no Chile
Constitution, no Chile – 06/03/2010 Joe Raedle/Getty Images

Em 27 de fevereiro de 2010, um terremoto de 8,8 de magnitude e um tsunami fazem estragos no centro-sul do país e deixam 524 mortos. Muitas das vítimas são registradas em Maule, a 300 km ao sul de Santiago, uma zona do litoral que foi submersa em algumas partes por uma onda de até seis metros.

Indonésia (2006)

Terremoto na Indonésia
Região de Yogyakarta, na ilha de Java, 28/05/2006 Dimas Ardian/Getty Images

No dia 27 de maio quase 6.000 pessoas morreram depois que um terremoto de magnitude 6,3 atingiu a região de Yogyakarta, na ilha de Java.

Continua após a publicidade

Indonésia (2009)

Terremoto na Indonésia
Ilha de Sumatra, na Indonésia, 02/10/2009 Yuli Seperi/Getty Images

Mais de 1.100 morreram em um terremoto de magnitude 7,6 na parte oeste da ilha de Sumatra. O porto de Padang foi particularmente afetado.

Nepal (2015)

Terremoto no Nepal
Bhaktapur, no Nepa, 29/04/2015 Omar Havana/Getty Images

Pelo menos 8.900 pessoas morreram em um terremoto de magnitude 7,8, seguido por outro tremor violento em 12 de maio, de uma magnitude de 7,3. A capital Katmandu e as regiões do epicentro, a 70 quilômetros de distância, foram devastadas. Mais de meio milhão de casas foram destruídas, deixando milhares de desabrigados.

Menos fortes, mas letais

Haiti (2010)

Terremoto no Haiti
Porto Príncipe, no Haiti. 17/01/2010 Joe Raedle/Getty Images

Um terremoto de magnitude 6 destrói grande parte da capital, Porto Príncipe. Deixa entre 200.000 e 250.000 mortos, além de 300.000 feridos e mais de um milhão de pessoas deslocadas.

China (2008)

Terremoto na China
DuJiangyan, em Sichuan, 14/05/2008 Paula Bronstein/Getty Images

Um terremoto de magnitude 8 matou cerca de 87.000 pessoas, principalmente na província de Sichuan, no sudoeste.

Paquistão/Índia (2005)

Terremoto na Caxemira
Kamel Kut, na Índia, na região da Caxemira Uriel Sinai/Getty Images

Um terremoto de 7,6 graus na escala Richter matou pelo menos 75.000 pessoas na região da Caxemira, incluindo mais de 73.300 mortos no Paquistão.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade