Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Porta-voz de Obama nega espionagem a Trump

Sem apresentar provas, Trump acusou Obama de grampear seu telefone durante a campanha eleitoral

Por Da redação Atualizado em 4 mar 2017, 16h05 - Publicado em 4 mar 2017, 15h42

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama jamais ordenou que se espionasse os cidadãos americanos, afirmou um porta-voz neste sábado, depois que o atual mandatário Donald Trump acusou seu antecessor de grampear seus telefones durante a campanha eleitoral do ano passado.

“Nem o presidente Obama nem nenhum funcionário da Casa Branca ordenaram espionar qualquer cidadão americano”, afirmou o pota-voz de Obama, Kevin Lewis, em um comunicado. “Qualquer alegação contrária é simplesmente falsa”, completa.

  • Mais cedo, sem apresentar nenhuma prova ou indício que comprove a acusação, Trump tuitou que Obama grampeou seu telefone em outubro, às vésperas da eleição presidencial, e comparou a ação ao Caso Watergate, que resultou a renúncia de Richard Nixon em 1974.

    O atual líder americano publicou no começo da manhã uma série de posts no Twitter em que classificou Obama como “ruim” e “doente” por ter gravado conversas de seus escritórios na torre de Nova York que leva seu nome.

    “Quão baixo chegou o presidente Obama ao grampear meus telefones durante o sagrado processo eleitoral. Isto é Nixon/Watergate”, escreveu Trump na rede social.

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade