Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Papa Francisco a Trump: ‘Quem constrói muros acaba prisioneiros deles’

O líder católico disse estar disponível para novas conversas com o presidente dos EUA e se esquivou de críticas dos ultraconservadores

Por Da Redação
Atualizado em 29 Maio 2019, 17h54 - Publicado em 29 Maio 2019, 13h36

O papa Francisco afirmou estar disposto a conversar pessoalmente com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para convencê-lo a desistir das obras do muro na fronteira do país com o México. Em entrevista à rede mexicana Televisa, exibida na terça-feira 28, o papa também minimizou as críticas dos católicos ultraconservadores que o chamam de herege.

“Não consigo entender esta nova cultura de defender territórios construindo muros. Já conhecemos um, aquele em Berlim, que trouxe tantas dores de cabeça e tanto sofrimento”, disse o pontífice, ao debater a situação com uma jornalista mexicana instalada há anos no Vaticano.

“Separar crianças dos pais vai contra a lei natural, não se faz isso. É cruel. Está entre as maiores crueldades. E para defender o quê? Territórios ou a economia de um país ou sabe-se lá o quê”, continuou Francisco, criticando a política de separação de famílias praticada nos últimos meses pela Guarda de Fronteira, em que crianças são levadas para abrigos sob custódia do governo americano.

Continua após a publicidade

Questionado se repetiria os seus argumentos “cara a cara” com Trump, Francisco respondeu: “Diria o mesmo. O mesmo porque o digo publicamente. Eu até já lhe disse que aqueles que constroem os muros acabam sendo prisioneiros deles.”.

Trump se encontrou com o papa no Vaticano em 2017, quando defendeu o muro como uma medida necessária para lidar com uma crise de drogas e crimes que atravessariam a fronteira dos Estados Unidos.

A questão vem gerando conflitos entre o líder americano e a Câmara dos Deputados, majoritariamente democrata, e também com alguns juízes federais. Os oposicionistas acusam um tom xenofóbico nos argumentos de Trump e questionam a maneira de financiar as obras do cercamento.

Continua após a publicidade

No ano passado, Francisco já havia criticado a diretriz de separar pais e filhos que atravessaram ilegalmente a fronteira entre Estados Unidos e México, revertida mais tarde por Trump em razão da revolta generalizada. Em abril, o americano negou as notícias de que estaria cogitando reativar a medida. Não existe mais nenhum encontro agendado entre Trump e o pontífice para os próximos meses.

Heresia

Francisco ainda foi questionado sobre o grupo de ultraconservadores que, no início deste mês, iniciou uma campanha de assinaturas pedindo o apoio de bispos para denunciar a suposta heresia do papa em algumas das suas declarações sobre temas polêmicos, como a comunhão para os divorciados.

O papa disse não ter mágoa e afirmou ter recebido a movimentação “com senso de humor”. “Rezo por eles porque estão errados, e, pobres coitados, alguns deles estão sendo manipulados.”

Continua após a publicidade

(Com Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.