Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Pai de Meghan diz que Harry pediu para ele dar ‘uma chance a Donald Trump’

Thomas Markle ainda afirmou que príncipe 'estava aberto para a ideia' da saída do Reino Unido da União Europeia

Por Redação Atualizado em 18 jun 2018, 15h28 - Publicado em 18 jun 2018, 09h58

Thomas Markle, o pai da atriz americana Meghan Markle, disse que príncipe Harry, o marido de sua filha, pediu que ele desse uma chance ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e afirmou ter a mente aberta sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

“Eu estava reclamando que não gostava do presidente e ele disse ‘Dê uma chance a Donald Trump’, porque era novo no posto. Eu discordei um pouco, mas ainda gosto do Harry”, disse Thomas ao programa Good Morning Britain, do canal britânico ITV. O americano de 73 anos disse que conversou com o genro por telefone no ano passado, poucos meses antes do casamento. “Acho que o Harry mudou de ideia a essa altura, provavelmente. Eu espero que sim”, complementou.

Thomas ainda afirmou que perguntou o que Harry pensava sobre o Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia. “Ele disse que estava aberto para a ideia e para ver como isso iria acontecer. Era apenas uma conversa entre dois caras sobre política. Nada estava escrito em pedras”, afirmou.

Questionado sobre como recebeu a notícia. “As primeiras ligações foram: ‘Pai, eu tenho um novo namorado’. Depois, ela disse que ele era britânico. Depois, ela falou: ‘Ele é um príncipe. É o Harry'”, relembrou Thomas. Questionado se ficou surpreso, Thomas disse: “Sim, é claro que é uma situação ‘uau’, mas essa é a minha filha, que certamente está à altura dele também”. Após o anúncio do noivado, ele disse que sofreu com o assédio de fotógrafos.

Ele disse que, na hora em que soube que os dois estavam noivos, não imaginava o que significava para ele e seus familiares entrar para a família real. “Ter a imprensa na minha porta e em todos os lugares que vou, isso se torna invasivo. Todos os membros da minha família passaram por isso. Mas aqui estamos, eu encaro como um elogio minha filha agora ser vista pelo mundo inteiro. Nós vamos nos acostumar com isso (o assédio da mídia)“, disse.

O Palácio de Kensington, que representa Harry e seu irmão William, se recusou a comentar a entrevista.

Continua após a publicidade
  • Não fiz por dinheiro

    Thomas disse que, desde o início, quis muito levar sua filha ao altar. Entretanto, dias antes da cerimônia, veio à tona que ele e sua filha mais velha haviam contratado fotógrafos para fazerem imagens positivas dele, e simular um “vazamento” de imagens. A imprensa britânica investigou as fotos e descobriu que se tratava de um acordo prévio.

    Nas imagens, Thomas aparecia vendo fotos de Meghan com o príncipe Harry e tirando as medidas para a fabricação da roupa que usaria para conduzir a filha ao altar. Suspeita-se que o lucro com a venda das fotos tenha sido repartido entre o fotógrafo e os parentes de Meghan. Só o pai, segundo tabloides britânicos, teria embolsado 100.000 libras (algo próximo a 500.000 reais) pelas imagens. 

    “Foi na verdade uma ideia para mudar a minha imagem, porque os fotógrafos sempre tiravam fotos minhas segurando cerveja, comprando papel higiênico, entrando no carro… Eles tiravam fotos que me davam uma imagem negativa”, disse. “Eu não fiz isso por dinheiro, fiz isso para mudar minha imagem. Eu me sinto muito mal por isso, peço desculpas, mas não posso fazer mais nada. Foi um erro”, falou.

    Ele contou que pediu desculpas a Harry e Meghan pelo caso, e disse que os dois lhe desculparam tranquilamente. “Meghan disse: ‘Tudo está pronto para você (me levar ao altar)‘. Harry disse que tinha amigos militares para cuidar de mim lá. Estava tudo bem”, contou. Entretanto, ele disse que estava muito mal com a situação e que isso desencadeou um ataque cardíaco.

    “Eu não poderia superar o que aconteceu. Eu tenho uma condição cardíaca e, um dia, eu senti algo, fui até um hospital. Depois, me transferiram para outro hospital e depois para um terceiro hospital. Tive um ataque cardíaco”, disse.

    “A coisa negativa é que agora eu sou uma nota de rodapé em um dos momentos mais incríveis da história, em vez de ser o pai levando-a ao altar”, concluiu, dizendo que estava “muito orgulhoso” de Meghan e que tem certeza que ela vai se dar muito bem na família real britânica.

    (Com agência Reuters e Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade