Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Obama diz ter sido educado demais em debate

Presidente prometeu "um pouco mais de movimento" no próximo debate

Por Da Redação 10 out 2012, 18h15

O presidente americano Barack Obama disse nesta quarta-feira que foi “educado demais” com seu adversário republicano, Mitt Romney, no debate realizado na última semana e prometeu ser mais ofensivo no próximo encontro, marcado para a próxima terça. “No debate, creio que é justo dizer que fui educado demais”, disse o democrata.

“Às vezes, é difícil dizer o tempo todo ‘o que você diz não é verdade’, a gente acaba por se repetir. A boa notícia é que foi apenas o primeiro debate”, acrescentou Obama, durante uma entrevista a um programa de rádio. “Acho que podemos dizer que veremos um pouco mais de movimento no próximo”, acrescentou, destacando que ainda faltam quatro semanas para as eleições e prometendo ser “mais incisivo” até lá.

Saiba mais:

Obama e as leis da gravidade política

Romney dispara uma retórica convencional contra Obama

O presidente admitiu ainda que as diversas gafes cometidas pelo rival fizeram “parecer que seria moleza” enfrentá-lo no debate. “Entendemos que nunca seria assim, que seria difícil”.

Continua após a publicidade

Em sua avaliação, a corrida presidencial poderia ter ficado mais apertada bem antes do debate, logo depois da convenção republicana, realizada no final de agosto. Isso não aconteceu, em sua avaliação, porque o encontro do partido adversário foi muito ruim.

Leia também:

Após debate, Romney alcança Obama em pesquisa eleitoral

Mitt Romney empata com Obama nas pesquisas eleitorais

Nesta semana, a campanha democrata lançou um vídeo com o personagem Garibaldo para tentar tirar proveito de uma declaração do republicano que causou furor nas redes sociais. A peça publicitária satiriza a fala de Romney, dizendo que, para ele, o maior perigo do país não é Wall Street – em referência à atual crise econômica-, mas sim Sesamo Street, o nome em inglês do programa Vila Sésamo. No debate, Romney disse que, se for eleito, vai cortar gastos, o que implicaria cancelar o financiamento à PBS, canal que exibe o programa infantil.

(Com Agência France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade