Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Moscou e Minsk fecham acordo para posicionar armas nucleares em Belarus

Ministro da Defesa russo disse que lado bielorrusso já recebeu sistema tático Iskander-M, capaz de lançar mísseis atômicos

Por Da Redação
Atualizado em 25 Maio 2023, 08h42 - Publicado em 25 Maio 2023, 08h37

Moscou e Minsk assinaram um acordo nesta quinta-feira, 25, sobre o posicionamento de armas nucleares táticas em Belarus, de acordo com os ministérios de Defesa de ambos os países.

Em reunião bilateral na capital bielorrussa, os ministros da Defesa da Rússia e de Belarus, Sergei Shoigu e Viktor Khrenin, respectivamente, assinaram documentos que definem o procedimento para a implantação de armas nucleares não-estratégicas russas em um estabelecimento especializado em Belarus, vizinha da Ucrânia.

+ A ameaça de Prigozhin: “Vai ter gente enforcada na Praça Vermelha”

Shoigu disse que o lado bielorrusso recebeu o sistema de mísseis operacional-tático Iskander-M, capaz de usar mísseis não apenas em equipamentos convencionais, mas também em equipamentos nucleares.

“Parte da aeronave bielorrussa foi convertida para o possível uso de armas nucleares. Os militares passaram por treinamento adequado”, acrescentou Shoigu.

Continua após a publicidade

+ Rússia finaliza ogiva nuclear Poseidon, a ‘arma invencível’ de Putin

“A República de Belarus está interessada no desenvolvimento de relações aliadas estratégicas com a Federação Russa na esfera militar”, disse Khrenin a Shoigu, conforme citado pela imprensa bielorrussa.

Armas nucleares táticas ou armas nucleares de uso tático são armas nucleares de pequeno poder explosivo, geralmente na faixa de 0,5 a 5 kilotons, destinadas a alvos específicos, como tropas, agrupamentos de blindados, bases militares, grupos de navios ou porta-aviões.

+ Putin suspende controle de armas nucleares e critica retórica dos EUA

Desde que o Kremlin invadiu a Ucrânia, em fevereiro do ano passado, Minsk tem sido uma de suas aliadas mais leais. Embora o presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, tenha afirmado que não enviaria soldados para território ucraniano “de jeito nenhum” – a menos que fosse atacado –, seu país está disposto a fornecer outros meios de apoio a Moscou.

Lukashenko levantou a possibilidade de a Rússia colocar armas nucleares estratégicas em Belarus durante um discurso à nação em março, enquanto acusava, sem evidências, os países ocidentais de “se preparar para invadir” seu território e “destruí-lo”.

A líder da oposição bielorrussa, Sviatlana Tsikhanouskaya, disse na época que a decisão da Rússia de colocar armas nucleares táticas em seu vizinho “visa subjugar Belarus”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.