Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maioria das vítimas do atentado em Istambul é de estrangeiros

A maior parte das dez pessoas mortas no atentado realizado nesta terça-feira no centro turístico de Istambul é de cidadãos estrangeiros, anunciou o vice-primeiro-ministro turco Numan Kurtulmus. Em Berlim, a chanceler da Alemanha Angela Merkel confirmou que entre os mortos estão turistas alemães. As autoridades também indicaram que o autor do ataque foi identificado como um sírio que nasceu em 1988, declarou Kurtulmus após uma reunião de crise com o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu.

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan já havia afirmado que a explosão no coração histórico de Istambul foi causada por um suicida de origem síria. “Condeno energicamente este atentado terrorista. A Turquia é o alvo principal de todas as organizações terroristas ativas na região”, acrescentou. O atentado aconteceu no bairro turístico de Sultanahmet, perto da basílica de Santa Sofia e da Mesquita Azul.

Leia também

Explosão em bairro turístico de Istambul deixa vários mortos

Bombardeio destrói depósito de dinheiro do Estado Islâmico em Mossul

Estado Islâmico mata ao menos 32 em ataques a shopping e café no Iraque

O governo turco suspeita que a explosão tem origem “terrorista”, afirmou uma fonte do Executivo que pediu anonimato, confirmando informações da imprensa local. A explosão, que aconteceu às 10h18 do horário local (6h18 de Brasília), foi ouvida e sentida na praça Taksim, a vários quilômetros de distância do bairro de Sultanahmet. A Turquia, que faz parte da coalizão que combate o Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque, vive em estado de alerta desde os atentados suicidas de 10 de outubro do ano passado que deixaram 103 mortos em Ancara. As autoridades atribuíram o ataque ao grupo jihadista EI.

(Da redação)