Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Identidade do novo comandante do Estado Islâmico é confirmada

O terrorista iraquiano Amir Mohammed Abdul Rahman Mawli Salbi foi nomeado logo após a morte de Abu Backr Baghdadi em outubro

Por Vinicius Novelli
Atualizado em 21 jan 2020, 16h49 - Publicado em 21 jan 2020, 16h39

Uma agência de inteligência ocidental e outra iraquiana identificaram quem é o terrorista que assumiu a liderança do grupo Estado Islâmico (EI) depois da morte de Abu Backr Baghdadi em outubro de 2019, segundo o jornal britânico The Guardian. De acordo com a publicação, o novo comandante da organização é o iraquiano Amir Mohammed Abdul Rahman Mawli Salbi.

Salbi foi nomeado chefe do grupo terrorista logo após a morte de Baghdadi e do porta-voz do Estado Islâmico, Abu Hasan Muhajir, em uma operação militar conjunta entre os Estados Unidos e tropas curdas.

Também conhecido pelo “nome de guerra” Haji Abdullah, Salbi nasceu em uma família turcomana da cidade de Tal Afar e é um dos poucos não árabes na cúpula do grupo. Seu irmão, Adel Salbi, é representante na Turquia de um partido regional, a Frente Turcomana Iraquiana, que reivindica autonomia para a população turcomana no norte do Iraque.

As agências de inteligência descrevem o novo comandante como peça principal nas formulações de estratégias e tomadas de decisões do EI. Um veterano no terrorismo, Salbi foi preso por tropas americanas no Iraque em 2004 e levado para a prisão. Lá, conheceu Baghdadi, e o ajudou a formar o grupo jihadista.

Continua após a publicidade

Considerado um dos principais ideólogos do EI, Salbi coordenou a escravidão e o genocídio da população Yazid, uma minoria étnica e politeísta no norte do Iraque, além de supervisionar as ações terroristas do grupo no exterior.

Apesar de Salbi ter sido identificado, não se sabe o seu paradeiro. Presume-se que seu esconderijo seja em cidades próximas à Mosul, e que teria se recusado a se juntar a Baghdadi em Idlib, onde ocorreu o ataque americano. O novo comandante tenta consolidar seu poder nas fileiras, ao mesmo tempo em que a atividade do Estado Islâmico se intensifica no norte da Síria — território controlado pelos curdos.

No fim de semana, uma operação das forças de segurança do Iraque prendeu Abu Abdul Bari, também conhecido como Shifa Nima ou “Jabba, o jihadista”, por sua obesidade mórbida, que foi um dos arquitetos da destruição de patrimônio histórico em Mosul e criou a justificativa religiosa para escravizar o povo Yazid.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.