Clique e assine a partir de 9,90/mês

Hadzic se declara inocente de crimes de guerra

Tribunal acusa ex-general de 'perseguição por política, raça ou religião'

Por Da Redação - 24 ago 2011, 12h17

O ex-general sérvio Goran Hadzic declarou, nesta quarta-feira, “inocência” das acusações de crimes de guerra e lesa-humanidade que pesam sobre ele, com o que o Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) pode dar início aos preparativos do julgamento.

Em uma audiência que durou pouco mais de dez minutos, Hadzic, de 52 anos, declinou ao seu direito da leitura da ata de acusação em sua totalidade e colaborou com os magistrados. Os juízes fecharam a sessão após comentar que, em breve, anunciarão a data da próxima audiência. Como estava previsto, o antigo líder dos sérvios da Croácia esteve representado nesta quarta-feira pelo advogado Zoran Zivanovic, que em 28 de julho se tornou o novo advogado de ofício de Hadzic, em substituição ao sérvio Vladimir Petrovic, até que a secretaria do tribunal determine um defensor permanente.

O TPII solicitou e prorrogou até 23 de setembro o prazo para tomar a decisão sobre o advogado permanente de Hadzic. A secretaria necessita de mais tempo porque Hadzic escolheu um advogado que não está na lista dos propostos pelo tribunal, e quer revisar o currículo do advogado. Hadzic também solicitou que sua defesa seja financiada com fundos do TPII. O tribunal acusa o antigo líder dos sérvios da Croácia de “perseguição por motivos políticos, raciais ou religiosos” de milhares de pessoas na Croácia durante a guerra dos Bálcãs e de crimes de guerra.

(Com agência EFE)

Publicidade