Clique e assine a partir de 8,90/mês

Governo de Hong Kong proíbe o uso de máscaras em protestos

A medida representa o endurecimento da postura governamental diante dos protestos violentos, que já se estendem por quatro meses

Por Da Redação - Atualizado em 4 out 2019, 06h52 - Publicado em 4 out 2019, 06h48

A chefe do governo de Hong Kong, Carrie Lam, anunciou nesta sexta-feira que o uso de máscaras durante as manifestações na região estará proibido a partir deste sábado 5, e pode ser punido com até um ano de cadeia.

A medida representa o endurecimento da postura do governo diante dos protestos violentos em Hong Kong, que já se estendem por quatro meses e têm sido marcados por crescente violência policial contra manifestantes.

Na última terça-feira, um rapaz de 18 anos tornou-se o primeiro participante das demonstrações a ser baleado pela polícia. O jovem está internado em condições estáveis e foi denunciado por causar tumulto, podendo ser condenado a até dez anos de prisão.

Tsang Chi-kin, de 18 anos, foi ferido nas manifestações que marcaram as comemorações do 70° aniversário de fundação da República Popular da China.

Tsang foi baleado no bairro Tsuen Wan, a cerca de 10 km do centro da cidade, por um policial que disparou contra seu peito. Ele está internado e seu estado de saúde é estável, segundo um comunicado do governo.

Durante os protestos desta terça-feira, 1, as autoridades de Hong Kong prenderam 269 manifestantes. Além de Tsang, outras 100 pessoas ficaram feridas e tiveram que ser levadas ao hospital.

(Com Estadão Conteúdo e AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade