Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Terremoto de 1985 no México também teve uma ‘Frida Sofia’

A farsa do resgate de “Monchito”, um menino de 9 anos, mobilizou o mundo

O terremoto que atingiu o México na última terça-feira guarda a triste coincidência de ter acontecido na mesma data, 32 anos depois, do mais devastador tremor da história do país, em 19 de setembro de 1985, que deixou milhares de mortos.

Além da coincidência da data, outro drama de 1985 se repetiu no evento desta semana. Assim como Frida Sofia, a estudante que estaria presa sob os escombros de uma escola e mobilizou a nação mas nunca existiu, 32 anos atrás o resgate de ‘Monchito’, um garoto de 9 anos, não passou de uma ‘invenção’. Na época, o mundo comemorou quando foi divulgado que um menino, que teria sido soterrado pelo terremoto foi encontrado com vida.

No dia 2 de outubro, treze dias após o tremor destrutivo, equipes de resgate foram mobilizadas para buscar Luis Ramón Nafarrete Maldonado, o ‘Monchito’. Segundo o suposto pai da criança, seu filho, que estava soterrado na companhia do avô, respondera a um sinal de códigos através de batidas nos escombros.

A Cruz Vermelha mexicana, a Marinha do México e voluntários (entre eles, o tenor espanhol Plácido Domingo) participaram efusivamente dos trabalhos de resgate. A imprensa nacional e internacional, por sua vez, noticiava cada avanço nos serviços de busca, amparada por relatos de porta-vozes extraoficiais que asseguravam que Monchito seguia vivo.

No dia 9 de outubro, as equipes encontram o corpo de Luis Maldonado, o suposto avô da criança, mas não havia sinal de Monchito. Posteriormente, socorristas alegaram escutar barulhos de alguém com vida debaixo dos escombros. O então presidente do país, Miguel de la Madrid, ordenou que as buscas seguissem em frente  – até serem suspensas três dias depois, sem traços da vida (ou da morte) do menino que comoveu  a nação.

Farsa

A história de Monchito era uma farsa. Mas qual a razão por trás de sua criação?

De acordo com um jornalista local, o suposto pai da criança tinha como objetivo chegar a um cofre contendo milhões de pesos que fora soterrado pelo terremoto. Outra versão dá conta que os envolvidos na propagação da farsa queriam roubar objetos de valor dos escombros do prédio. A ‘familia’ de Monchito, após ver a história cair por terra, deixou a cidade.