Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

EUA contratam Quico, de ‘Chaves’, para campanha contra imigração ilegal

Em vídeos divulgados pela embaixada americana no México, Carlos Villagrán alerta para perigos de atravessar a fronteira ilegalmente

Por Paula Freitas
Atualizado em 3 out 2023, 16h34 - Publicado em 3 out 2023, 16h24

O ator mexicano Carlos Villagrán, que interpreta Quico no seriado “Chaves”, é o novo rosto da campanha contra imigração ilegal da embaixada dos Estados Unidos no México. Em um vídeo publicado nas redes sociais, em 21 de setembro, ele voltou a se fantasiar com as roupas do personagem e lançou alertas para o risco dos contrabandistas de pessoas, os “coiotes”.

“Os coiotes sempre te deixam encalhado, é melhor dizer a eles para saírem, para irem embora”, aconselha o ator na gravação, em que usa carros de brinquedo para simular um acidente, comum em veículos contrabandistas.

Além disso, Villagrán incentiva que os interessados em viver nos Estados Unidos usem o aplicativo CBP One, por meio do qual são agendadas consultas com as autoridades de fronteira. Em maio, mês em que o app foi lançado, o governo do presidente americano, Joe Biden, anunciou o fim do Título 42, uma lei da era da pandemia que permitia a expulsão de imigrantes sem que tivessem a chance de pedir asilo, e promulgou medidas mais duras para quem tentasse atravessar a fronteira ilegalmente.

+ Filho de ‘El Chapo’ se declara inocente de acusações de tráfico nos EUA

Continua após a publicidade

A iniciativa procura reduzir o intenso fluxo imigratório na fronteira México-Estados Unidos. Em 2022, a Patrulha da Fronteira registrou a entrada ilegal de ao menos 2,2 milhões de pessoas. Os números, apesar de ainda elevados, caíram neste ano, como mostram os dados de setembro: cerca de 1,6 milhões de pessoas cruzaram a divisa mexicana até o momento.

Em um segundo vídeo, publicado em 28 de setembro, o intérprete de Quico reforça os pedidos e afirma que “o melhor é cruzar [a fronteira] de forma legal”. Segundo o Escritório de Washington para a América Latina, a cidade fronteiriça de Tapachula, no sul do México, tem recebido cerca de 6 mil imigrantes diários, que tentam chegar aos Estados Unidos.

“Olá, amigos. Primeiro de tudo: Calem-se, calem-se, calem-se, vocês me deixam loucos!”, diz o ator, relembrando o famoso bordão do personagem, no vídeo. “Tenho algo muito importante para dizer: não cruzem a fronteira dos Estados Unidos, porque seu pai, sua mãe, seu tio, seu cachorro, seu gato, seu periquito, todo mundo pode estar em perigo. O melhor é cruzar de forma legal. Vamos lá. Se você fizer isso [atravessar legalmente], aí sim vou gostar de você.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.