Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Comitê nos EUA denuncia Steve Bannon por desacato em invasão ao Capitólio

Caso agora será julgado por procurador-geral; ex-assessor de Donald Trump pode ser condenado a até um ano de prisão

Por Julia Braun 20 out 2021, 08h54

O Comitê do Congresso que investiga a invasão ao Capitólio dos Estados Unidos em janeiro deste ano se manifestou unanimemente nesta terça-feira, 19, a favor da acusação criminal de desacato contra Steve Bannon, ex-assessor do ex-presidente Donald Trump que se recusou a participar das investigações.

Bannon não compareceu à audiência marcada para a última quinta-feira 14 alegando estar protegido por privilégios executivos, embora ele não faça parte do corpo de funcionários da Casa Branca.  Trump teria instruído quatro ex-assessores a não testemunhar ao Congresso.

Os democratas acusam o estrategista de atrasar a investigação sobre a invasão protagonizada por apoiadores de Trump. A multidão que invadiu o Capitólio tentou impedir que o Congresso certificasse a vitória de Joe Biden na eleição presidencial.

“O Sr. Bannon colaborará com nossa investigação ou enfrentará as consequências”, advertiu o democrata Bennie Thompson, que está à frente da comissão bipartidária.

A recomendação de inquérito deve agora ser votada no plenário da Câmara — onde os democratas são maioria — e provavelmente será aprovada. O caso segue então para o Departamento de Justiça, onde o procurador-geral Merrick Garland decidirá se processará Bannon.

O ex-assessor entrou com uma série de apelações judiciais que podem adiar a decisão final para novembro de 2022. Se for considerado culpado, Bannon pode precisar pagar multa ou enfrentar até 12 meses de prisão.

Continua após a publicidade

Publicidade