Clique e assine com até 92% de desconto

Com 20% da população idosa, Uruguai teme impacto devastador

Um em cada cinco habitantes do país vizinho tem mais de 60 anos, uma das taxas mais elevadas do mundo

Por Ernesto Neves Atualizado em 19 mar 2020, 14h58 - Publicado em 19 mar 2020, 13h41

Com um em cada cinco habitantes acima dos 60 anos, uma das taxas mais altas do mundo, o Uruguai teme que o coronavírus traga graves consequências ao país. Para efeito de comparação, apenas 13% dos brasileiros são idosos.

Nesta quinta-feira, 19, o Sindicato Nacional de Médicos divulgou uma carta em que pede o início imediato da reclusão obrigatória, tal qual já fazem Itália e Espanha.

“Entendemos que a conduta do governo em uma crise como essa precisa de ajustes. Requer liderança mais forte, presença mais forte das autoridades de saúde. É necessário mudar a maneira como as decisões estão sendo processadas”, diz trecho do comunicado.

Até o momento, o Uruguai tem 79 casos, sendo que a epidemia teve início na sexta-feira 13. Entre as cidades já afetadas estão a capital, Montevidéu, Canelones, Maldonado, Colônia e Salto. Segundo o Ministério da Saúde, todos os doentes estão estáveis e têm sintomas leves.

O governo do Uruguai vem implementando uma série de medidas para conter o avanço do Covid-19, como o fechamento de todo comércio não essencial. Permanecem abertos apenas farmácias e supermercados.

Mas as autoridades ainda não decretaram reclusão obrigatória temendo os efeitos econômicos que um decreto do tipo trará.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade