Chile registra maior número de casos e mortes por coronavírus em 24h | VEJA
Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Chile registra maior número de casos e mortes por coronavírus em 24h

País contabiliza 3.520 infecções e 31 óbitos em um só dia; Senado chileno passa por surto, com quatro parlamentares contaminados

Por Da Redação Atualizado em 19 Maio 2020, 18h59 - Publicado em 19 Maio 2020, 18h45

O Chile registrou, nesta terça-feira, 19, números recordes de novos casos de contaminação e de mortes causadas pelo novo coronavírus. As autoridades chilenas alertam para o perigo de sobrecarga do sistema de saúde, ao mesmo tempo em que o Senado do país registra um surto, com quatro parlamentares infectados.

Na terça-feira, houve mais 3.520 contaminações e 31 mortes. O ministro da Saúde chileno, Jaime Mañalich, informou que os dados elevam o total de contágios para 49.579, enquanto o de óbitos passou a 509.

“Os números são muito preocupantes. De uma média de 2.500 casos por dia, saltamos para 3.250, sendo que 421 são assintomáticos”, disse Mañalich. O ministro afirmou esperar que os casos registrados não levem a um agravamento no estado de saúde dos infectados nos próximos dias, o que poderia “sobrecarregar a rede de atendimento”.

ASSINE VEJA

Covid-19: Amarga realidade As cenas de terror nos hospitais públicos brasileiros e as saídas possíveis para mitigar a crise. Leia nesta edição.
Clique e Assine

“Estamos em um momento complexo”, disse o titular da pasta.

Até esta semana, o recorde de novas infecções em 24h era de 2.660, e o de mortes, 29. As duas marcas foram registradas na semana passada e foram responsáveis por levar o governo chileno a decretar o confinamento obrigatório na região metropolitana de Santiago. A medida afeta sete milhões de pessoas, aproximadamente.

Nas últimas 24 horas, também aumentou o número de pacientes que dependem de respiradores artificiais, de 670 para 728. Destes, 134 estão em estado crítico. Enquanto isso, a ocupação da rede hospitalar da capital chegou a 93%.

Continua após a publicidade

O Chile é o quarto país da América Latina mais afetado pela pandemia, atrás apenas do Brasil, Peru e México. Com 2,6 casos a cada 1.000 habitantes, contudo, ultrapassa o Brasil (com 1,5 mortes a cada 1.000 habitantes) e o México (0,41 mortes a cada 1.000 habitantes).

Nas fileiras do Senado

Também nesta terça-feira, o senador governista José García Ruminot tornou-se o quarto integrante da casa legislativa a ser diagnosticado com a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O Senado estava operando normalmente até a semana passada.

Ainda serão divulgados os resultados dos exames feitos em outros parlamentares e funcionários do Senado, que aumentar o total de contaminações. Antes de Ruminot, também testaram positivo para a Covid-19 os senadores Rabindranath Quinteros, do Partido Socialista; Jorge Pizarro, do Democracia Cristã; e Manuel José Ossandón, do Renovação Nacional.

O caso de Quinteros, vice-presidente do Senado de 76 anos, gerou muita repercussão. Antes de saber o resultado do seu testes na sexta-feira 15, mas já com suspeita de estar com Covid-19, o parlamentar viajou de avião da cidade de Puerto Montt para Santiago. O Ministério Público abriu uma investigação contra o senador, para verificar se ele colocou em risco a saúde de outras pessoas.

Além disso, quatro ministros que tiveram contato recente com integrantes do Parlamento receberam resultados positivos para o coronavírus. Entre eles, o Secretário Geral da Presidência, Felipe Ward; o da Fazenda, Ignacio Briones; o do Interior, Gonzalo Blumel; e o de Desenvolvimento Social, Sebastián Sichel.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade