Clique e assine a partir de 9,90/mês

Caçador ilegal morre pisoteado por elefante na África do Sul

Homem perseguia um rinoceronte no Parque Nacional Kruger. Segundo autoridades, corpo foi devorado por leões

Por AFP - Atualizado em 8 abr 2019, 16h45 - Publicado em 8 abr 2019, 09h12

Um caçador ilegal que perseguia um rinoceronte no Parque Nacional Kruger, na África do Sul, morreu ao ser pisoteado por um elefante e depois foi devorado por leões, informou nesta segunda-feira, 8, o Departamento de Parques (SanPark).

O caso foi revelado pelos suposto cúmplices da vítima, que informaram a morte à família do caçador, que foi esmagado por um elefante em 2 de abril, informou o porta-voz do SanPark, Isaac Phaahla.

A família alertou a direção do parque nacional, que enviou guardas para procurar o corpo do caçador. Eles encontraram apenas o esqueleto e as calças do homem, que não teve sua identidade revelada.

“A presença de um grupo de leões foi confirmada na área e parece que devoraram o corpo da vítima”, disse Phaahla, antes de indicar que especialistas tentam confirmar a informação.

“Entrar ilegalmente e a pé no parque nacional Kruger não é prudente”, recordou o diretor do local, Glenn Phillips. “É muito perigoso e este incidente é uma nova prova disso”, completou.

Os quatro cúmplices da vítima foram detidos e devem comparecer esta semana a uma audiência com um juiz.

A cada ano milhares de rinocerontes são mortos na África para a retirada de seus chifres, muito apreciados na medicina tradicional em países como China e Vietnã.

No continente africano restam quase 5.000 exemplares do rinoceronte negro, quase 1.900 deles na África do Sul. O país também tem 20.000 rinocerontes brancos, 80% da população mundial.

Continua após a publicidade
Publicidade