Clique e assine a partir de 8,90/mês

Burocracia e ineficiência impedem a reconstrução do Nepal após terremotos

O país tem dificuldade em aprovar projetos para receber os mais de 13 bilhões de reais da ajuda humanitária internacional. Milhares de pessoas seguem vivendo em barracas

Por Da Redação - 2 set 2015, 10h52

Meses depois de vários países e agências internacionais prometeram 4,1 bilhões de dólares (mais de 13 bilhões de reais) em ajuda ao Nepal para se recuperar do pior desastre natural já ocorrido no país, a ineficiência do governo nepalês ainda impede o acesso ao dinheiro e o país não gastou nada em reconstrução. O Nepal tem dificuldades em conceber e aprovar projetos para requisitar a ajuda financeira internacional. A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que quase 3 milhões de pessoas afetadas pelos terremotos de abril e maio – cerca de 10% da população do país – necessitam de abrigo, alimentação e cuidados médicos básicos, boa parte delas em áreas montanhosas de difícil acesso.

O diretor-executivo da recém-criada Autoridade de Reconstrução Nacional, Govind Raj Pokharel, diz ser improvável que o governo comece a usar o dinheiro antes de outubro por causa de atrasos burocráticos na aprovação dos programas e preocupações sobre como iniciar trabalhos de construção na época das monções. “A resposta do governo tem sido lenta. Admito isso”, disse Pokharel.

Leia também

Prédios históricos do Nepal correm risco de demolição após terremotos​

Putin estaria tendo um caso com Natalia ‘Marreta’, ex-boxeadora russa

Continua após a publicidade

Milhares de islandeses oferecem a própria casa para hospedar refugiados sírios

O Nepal tem sido criticado por sua resposta caótica aos terremotos que mataram quase 9.000 pessoas. O país não conseguiu preparar-se adequadamente mesmo depois de especialistas terem previsto um grande terremoto no país. E agora o governo tem dificuldades para lidar com a ajuda internacional.

Quatro meses depois, muitos edifícios parcialmente danificados em Katmandu ainda estão nas mesmas condições, e o entulho está espalhado por parques públicos. Dezenas de milhares de pessoas seguem vivendo em barracas de plástico precárias, às voltas com moscas e mosquitos, em meio a ruas lamacentas e sem sistema de esgoto. Maili Pariyar, de 50 anos, tricota uma bolsa para vender diante de sua barraca e diz que só recebeu de agências beneficentes alimentos e materiais para o abrigo. Não obteve nada do governo. “Perdemos tudo. Estamos desesperados”, disse ela. “Quanto tempo mais nós temos que esperar por ajuda?”

O funcionário da ONU e coordenador humanitário para o Nepal, Jamie McGoldrick, disse que o governo tem sido lento. “O governo precisa agir”, afirmou. “O próximo grande desafio é garantir que as pessoas que vivem em tendas estejam preparadas para o inverno.”

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade