Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Brexit: Parlamento britânico aprova saída da UE em 31 de janeiro

Projeto do premiê Boris Johnson encurta período de transição, que se encerrará em 31 de dezembro de 2020

Por Da Redação - 20 dez 2019, 13h03

Fortalecido pela sua vitória nas eleições de 12 de dezembro, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, conseguia uma confortável aprovação de seu projeto de retirada do Reino Unido da União Europeia em 31 de janeiro de 2020. O projeto obteve 358 votos favoráveis ao Brexit, com apenas 234 contrários. “Nós viemos juntos como um novo Parlamento para quebrar o impasse e finalmente conseguir realizar o Brexit“, declarou o premiê ao final da votação.

O projeto prevê que a implementação do Brexit deva ser concluída antecipadamente, em 31 de dezembro de 2020. A União Europeia preferia um período mais longo de transição. Johnson terá 30 dias, a partir desta sexta-feira, para apresentar aos europeus os objetivos de seu governo em uma negociação que deverá envolver os temas mais nevrálgicos, como a questão da fronteira entre a Irlanda do Norte (britânica) e a República da Irlanda (membro do bloco), segundo o jornal The Guardian.

Johnson deverá encaminhar ao Parlamento projetos de lei sobre quatro áreas diretamente afetadas pelo Brexit: uma nova regulamentação sobre imigração, para substituir a europeia, que prevê a livre movimentação; agricultura, especialmente sobre a compensação aos produtores rurais pela perda dos subsídios da Política Agrícola Comum); comércio exterior; e meio ambiente.

Durante a votação, seis deputados do Partido Trabalhista, de oposição, viraram a casaca e votaram com o primeiro-ministro. Dos 359 votos em favor da medida, 352 vieram da ampla base conservadora construída por Johnson nas eleições deste mês. Com os trabalhistas votaram o Partido Nacional Escocês, que agora ameaça conduzir um referendo de secessão do Reino Unido, os liderais-democratas, os democratas-unionistas e outras legendas minoritárias.

Publicidade

 

Publicidade