Clique e assine a partir de 9,90/mês

Brexit: Johnson diz a Macron que negociação deve se encerrar até setembro

O primeiro-ministro do Reino Unido 'não acredita fazer sentido' o prolongamento das conversas para um acordo comercial

Por Da Redação - 18 jun 2020, 18h08

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse ao presidente da França, Emmanuel Macron, que não acredita ser necessário estender as negociações sobre o acordo comercial pós-Brexit com a União Europeia até o final de setembro, afirma um comunicado de Downing Street nº 10 nesta quinta-feira, 18.

“O primeiro-ministro ressaltou que o Reino Unido não acredita fazer sentido que as negociações sejam prolongadas até o outono [que, no Reino Unido e em todo o hemisfério norte, começa no final de setembro]”, diz o comunicado.

Johnson ressaltou seu apoio à intensificação em julho das negociações do acordo comercial pós-Brexit, um compromisso firmado entre o Reino Unido e a União Europeia em um comunicado conjunto do início de junho, após pelo menos quatro rodadas de reuniões estagnadas.

A conversa entre os dois chefes de governo ocorreu durante uma visita cerimonial de Macron a Londres, em homenagem ao aniversário de 80 anos do início da resistência francesa à ocupação da Alemanha Nazista na Segunda Guerra Mundial, que é pontuado na narrativa oficial pelo discurso do então general refugiado no Reino Unido Charles de Gaulle, transmitido pela rádio BBC ao povo francês.

De Gaulle, que se tornou depois o líder da resistência francesa ao nazismo, foi eleito o primeiro presidente da França após o conflito.

Continua após a publicidade

O governo francês não se posicionou oficialmente sobre o comunicado britânico. Segundo uma fonte do gabinete de Macron, o presidente francês, em seu encontro com Johnson, lembrou o compromisso da França com um acordo comercial entre o Reino Unido e a União Europeia para o período pós-Brexit.

Macron ainda teria demonstrado seu apoio a Michel Barnier, diplomata francês que é o negociador-chefe da União Europeia.

Embora o Reino Unido tenha concretizado sua saída da União Europeia no final de janeiro, o país permanece sob as regras comerciais e diplomáticas do bloco durante o “período de transição”, previsto para se encerrar até dezembro.

O “período de transição” serve para que os britânicos possam firmar um novo acordo comercial com o bloco para evitar uma ruptura brusca das relações comerciais.

Segundo o site da Biblioteca da Câmara dos Comuns do Parlamento britânico, 45% das exportações e 53% das importações do Reino Unido em 2018 envolveram países da União Europeia.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade