Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Brasileiro é detido após apontar arma contra Cristina Kirchner; veja vídeo

De acordo com a emissora C5N, a arma teria falhado antes do disparo

Por Da Redação Atualizado em 1 set 2022, 22h50 - Publicado em 1 set 2022, 22h24

A polícia argentina deteve na noite desta quinta-feira, 1, um homem que tentou disparar uma pistola contra a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, em Buenos Aires. De acordo com o ministro da Segurança, Aníbal Fernández, o suspeito é Fernando Andrés Sabag Montiel, um brasileiro de 35 anos que já havia sido detido no ano passado portando uma faca no bairro de La Paternal, onde mora.

Segundo a emissora C5N, a arma seria uma pistola 3.8 e teria falhado antes do disparo. Em imagens veiculadas pela mídia local é possível ver a ex-presidente deixando o carro ao chegar em casa, no bairro da Recoleta, e logo abaixando a cabeça quando alguém com que parece ser uma pistola se aproxima dela. Em seguida, agentes encurralam o homem.

À C5N, o ministro da Segurança indicou que a arma está em posse da polícia.

“Agora a situação tem que ser analisada por nossa equipe de investigação para avaliar os traços e a capacidade e disposição que essa pessoa tinha”, disse.

Continua após a publicidade

+ Ministério Público argentino pede 12 anos de prisão para Cristina Kirchner

Há dias a residência de Cristina Kirchner se tornou um ponto de manifestações a favor e contra a vice-presidente, depois que o procurador Diego Luciani pediu a prisão da política durante o julgamento iniciado em 2019, e que agora entrou em sua fase final. Luciani afirmou se tratar do “maior esquema de corrupção já conhecido no país” e solicitou uma pena de 12 anos de prisão para Kirchner.

Na quarta-feira, um entregador de comida chegou a ser detido pela Polícia Federal quando passava pela porta da casa da vice-presidente e gritou insultos tanto contra ela quanto contra militantes que faziam vigília, dando início a uma pequena confusão.

Kirchner é acusada de ter desviado 46 bilhões de pesos em 51 projetos de infraestrutura na província de Santa Cruz durante o período em que foi presidente por meio de concessões públicas ao empresário Lázaro Báez, proprietário da construtora Austral Construcciones.

Continua após a publicidade

Como argumentos da suposta fraude, o Ministério Público afirmou que o patrimônio de Báez cresceu 12.000% entre 2004 e 2015 e de sua empresa cresceu 46.000%. Durante as três presidências dos Kirchner, duas de Cristina e uma de Néstor, Báz teve como cliente o Estado e fechou cerca de vinte acordos comerciais particulares com a família Kirchner.

Durante os nove dias de leitura de acusações, Kirchner tentou tirar Luciani do caso, assim como um dos três juízes do tribunal, Rodríguez Giménez Uriburu, citando uma foto divulgada na imprensa que mostra os dois como participantes costumeiros de campeonatos de futebol que o ex-presidente Mauricio Macri, seu rival político, organiza em sua casa de veraneio.

A sentença será apresentada nos próximos meses, de acordo com a mídia local, embora Cristina ainda possa apelar em instâncias superiores, o que faria com que um veredicto final demorasse possivelmente anos. Mesmo se condenada à prisão, no pior dos casos, ela pegaria prisão domiciliar por sua idade.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.