Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Atentado do Talibã deixa 14 mortos e 145 feridos no Afeganistão

Carro com explosivos foi detonado próximo a uma delegacia na capital do país, no momento em que os talibãs negociam a paz com os EUA

Por Da Redação
7 ago 2019, 14h38

Ao menos 14 pessoas morreram e 145 ficaram feridas nesta quarta-feira, 7, em um atentado suicida contra uma delegacia em Cabul, no Afeganistão. O ataque, realizado com um carro cheio de explosivos, foi reivindicado pelos talibãs, informou o vice-ministro do Interior, Khoshal Sadat.

Dez dos 14 mortos são civis, assim como 92 dos feridos, acrescentou a fonte. Fotos e vídeos postados nas redes sociais mostram uma coluna densa de fumaça.

Zakeria Hasani, uma jornalista afegã, disse que estava a 400 metros da explosão e viu as pessoas correndo em pânico. “Eu ouvi as pessoas gritarem. Foi o terror absoluto. Eu vi mulheres chorando e procurando desesperadamente por seus maridos ou filhos”, acrescentou.

Um primeiro relato mencionou 95 feridos, transferidos para hospitais da cidade, principalmente mulheres e crianças, segundo o porta-voz do Ministério da Saúde, Wahidulá Mayar.

O porta-voz do Talibã, Zabihulá Mujahid, reivindicou o ataque nas redes sociais e disse que foi realizado por um kamikaze. “O ataque foi lançado contra um centro de recrutamento inimigo, dezenas de soldados e policiais morreram”, disse ele.

“Aconteceu em um local não autorizado para civis”, insistiu. Mas são precisamente os civis que continuam a pagar o preço mais alto neste conflito.

Continua após a publicidade

A ONU revelou que julho foi o mês mais sangrento desde maio de 2017, com mais de 1.500 civis mortos ou feridos em todo o país. Em 2018, morreram 3.804 civis, incluindo 900 crianças.

O ataque acontece enquanto o Talibã negocia a paz com os Estados Unidos. A oitava rodada de negociações está ocorrendo atualmente em Doha.

Ambas as partes felicitaram-se pelo “excelente progresso” e esperam assinar um acordo bilateral.

Se for assinado, abrirá caminho para negociações diretas entre os talibãs e uma equipe de negociação do governo afegão, conforme planejado por Oslo.

“O Talibã é um obstáculo para a paz. Eles devem parar de lutar e aproveitar a oportunidade para a paz proporcionada pelos Estados Unidos, caso contrário, apenas o seu desaparecimento os espera”, disse o porta-voz do presidente, Sediq Sediqqi.

Continua após a publicidade

Explosão potente

A delegacia de polícia atacada está localizada na parte xiita da cidade, onde mora a comunidade hazara (a terceira maior do Afeganistão, depois dos pashtuns e tadjiques, sunitas), atualmente em plena preparação para o maior feriado muçulmano, o Aid el Kebir.

Desafiando o medo dos ataques, a população de Cabul lotou os mercados nesta quarta-feira.

Na madrugada desta quarta, as forças especiais afegãs atacaram vários redutos de membros da divisão afegã do Estado Islâmico, embora os detalhes da operação sejam desconhecidos.

Na terça-feira, no final do dia, pelo menos cinco pessoas morreram e sete ficaram feridas em um ataque contra um veículo governamental de combate às drogas.

Continua após a publicidade

(Com AFP)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.