Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aprovação de Obama atinge nível mais baixo de seu governo

Pesquisa: só 40% dos americanos aprovam desempenho do presidente

A poucos dias das eleições legislativas dos EUA, uma pesquisa mostra um cenário desfavorável aos democratas. Segundo levantamento encomendado pelo jornal The Washington Post e pela rede ABC News, a administração Barack Obama atingiu o índice mais baixo desde que ele assumiu o cargo, em 2009. Apenas 40% dos entrevistados aprovam o presidente, um ponto a menos do que o verificado no levantamento realizado em setembro, enquanto 51% reprovam seu governo. Os 9% restantes não souberam responder. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais.

A mesma pesquisa mostrou que os cidadãos estão insatisfeitos com a liderança do presidente e com a política em geral. Dois em cada três americanos consideram que os EUA não estão seguindo o caminho certo, e seis em cada dez afirmaram que nem o presidente nem os membros republicanos do Congresso mostraram possuir um plano claro de governança.

Leia também:

‘Obama perdeu o rumo’, diz ex-secretário de Defesa

EUA subestimaram Estado Islâmico, admite Obama

Taxa de desemprego atinge o menor nível em seis anos nos EUA

Quando perguntados sobre o que pensam a respeito dos dois principais partidos do país, os entrevistados foram impiedosos. Os democratas só receberam 39% de aprovação, o índice mais baixo em 30 anos, e pela primeira vez uma maioria, 51%, reprovou o partido. Já os republicanos só receberam 33% de aprovação.

Segundo o Washington Post, muitos democratas temem que a impopularidade do presidente possa afetar o desempenho de candidatos do partido nas eleições de 4 de novembro, em que estão em jogo todos os 435 assentos da Câmara dos Deputados, 33 das 100 cadeiras do Senado e a chefia de 38 governos estaduais.

Economia e terror – Quando avaliada apenas a área econômica, a administração Obama obteve um resultado um pouco melhor, com 44% de aprovação e 51% de reprovação. Já pelas ações tomadas contra a ameaça representada pelos terroristas do Estado Islâmico (EI), o presidente viu sua aprovação cair vertiginosamente em pouco tempo. No final de setembro, a aprovação nesta área chegava a 50%; agora, está em 35%.

O pior resultado para o democrata, no entanto, foi registrado quando os pesquisadores abordaram o tema da imigração. Só 29% dos entrevistados aprovam as ações do presidente nessa área – uma queda de nove pontos percentuais em relação à pesquisa realizada em setembro.

O levantamento mostrou ainda que o eleitorado republicano está mais motivado para votar na eleição de novembro. Entre os republicanos, 77% afirmaram que estão determinados a irem às urnas, contra 63% entre os democratas.

As eleições de meio de mandato, como a que vai ocorrer em novembro, costumam ser vistas como uma espécie de “referendo” para avaliar a confiança no partido que ocupa a Presidência. Ao responder à pesquisa, 62% dos eleitores disseram que não vão levar em conta o desempenho do presidente na hora de votar.

Mas, entre aqueles que consideram o presidente um fator em jogo, a maioria afirma que vai usar o voto para mandar um recado para a Casa Branca. Entre os eleitores republicanos, o índice chega a 46%. Entre os democratas, são 30% os que querem enviar uma mensagem de apoio a Obama por meio das urnas.