Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Após meses, Israel volta a atacar Cidade de Gaza com tanques e bombardeios

Moradores afirmam que esta foi a ofensiva mais intensa na região desde o início da guerra com o Hamas; Tel Aviv diz que emitiu alertas preventivos aos civis

Por Da Redação
Atualizado em 8 jul 2024, 11h36 - Publicado em 8 jul 2024, 11h27

O Exército israelense bombardeou a Cidade de Gaza durante a madrugada desta segunda-feira, 8, enquanto tanques vindos de diversas direções se aproximam do centro da cidade. Habitantes relataram à agência de notícias Reuters que esse foi o ataque mais intenso na região desde o início da guerra entre Israel e Hamas, em 7 de outubro do ano passado. 

O Serviço de Emergência Civil de Gaza disse acreditar que dezenas de pessoas morreram durante o ataque. Com a ressalva, no entanto, que as ofensivas israelenses em Daraj e Tuffah, no leste do enclave, e em Tel Al-Hawa, Sabra e Rimal, mais a oeste, ainda em andamento, impediram a chegada das equipes de socorro e a contagem do número exato de vítimas.

O hospital Al-Ahli Baptist, no sul da Cidade de Gaza, foi esvaziado. Os pacientes em tratamento foram encaminhados para o Hospital Indonésio, no norte da Faixa de Gaza, já superlotado e mal equipado. 

Os militares israelenses alegaram que emitiram alertas e ordens de retirada para que os civis palestinos soubessem da ofensiva e deixassem uma série de bairros no centro da cidade. No entanto, uma das áreas mais atingidas pelo ataque, Tel al-Hawa, não foi mencionada no aviso publicado na noite de domingo 7 pelo porta-voz árabe das Forças de Defesa de Israel (FDI). 

Em um comunicado, as FDI confirmaram o lançamento de uma nova operação em Tel al-Halwa e alegaram que os combatentes do Hamas e da Jihad Islâmica Palestina, um grupo aliado em Gaza, estavam utilizando infraestruturas civis para atacar as forças israelenses.

Continua após a publicidade

Milhares de palestinos deixaram suas casas em busca de zonas mais seguras após a ordem de evacuação israelense. Residentes dos bairros do centro da cidade afirmaram que um tanque israelense empurrou as pessoas em direção à estrada ocidental, perto do Mediterrâneo. 

Proposta de cessar-fogo

O Hamas demonstrou apoiar uma proposta elaborada pelos Estados Unidos para encerrar as hostilidades em Gaza ainda nesta semana. O braço político do grupo terrorista concordou com a fase inicial do plano, que envolve a libertação de cerca de 120 reféns israelenses e um prazo de seis semanas para a negociação de um cessar-fogo permanente.

No entanto, a posição de Tel Aviv ainda é incerta. De acordo com a Reuters, a gestão do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, não manifestou a intenção de aceitar a proposta. “Continuam existindo lacunas entre os dois lados”, afirmou o governo em um comunicado.

Neste domingo, dois oficiais do Hamas afirmaram que o grupo palestino ainda não recebeu uma resposta oficial de Israel sobre a proposta de cessar-fogo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.